René festeja reação do Botafogo e exalta 'DNA ofensivo' do time

Após um susto no primeiro tempo, quando foi ao intervalo perdendo por 1 a 0, o Botafogo reagiu e assegurou a sua passagem às semifinais do Campeonato Carioca com uma rodada de antecedência ao golear o Madureira por 4 a 1, domingo, no Engenhão. Satisfeito, o técnico René Simões festejou a vaga, lembrou a campanha regular do seu time e exaltou o que chamou de "DNA ofensivo" do Botafogo, que marcou 30 gols em 15 jogos no torneio estadual.

Estadão Conteúdo

06 de abril de 2015 | 09h36

"É claro que sonhávamos com a classificação e que o time tivesse um desempenho como está tendo, mas não poderíamos saber disso antecipadamente. Não temos bola de cristal. O Botafogo nunca foi terceiro colocado em toda a competição e isso é expressivo. Estamos muito felizes com isso porque montamos essa equipe com um DNA ofensivo. São quinze jogos marcando em todas as partidas e temos uma defesa pouquíssima vazada", afirmou.

René também elogiou o Madureira, que está em quarto lugar no Campeonato Carioca, declarando que o oponente foi o time mais bem armado que o Botafogo encarou na atual temporada.

"Nós jogamos contra uma equipe que tem que ser parabenizada. Como joga bonito o Madureira, um futebol de toque e organização. Eu sei que muita gente não vai gostar do que eu vou dizer, mas em termos de arrumação tática foi a equipe mais difícil que já enfrentamos", disse.

O treinador destacou que a mudança de postura do Botafogo no segundo tempo, o que foi fundamental para a virada e a goleada. "Eu sabia que tínhamos que trocar essa chave e jogar mais leve. A entrada do Fernandes fechou o lado direito, foi muito bem. Além de ter uma técnica excepcional, é de uma inteligência tática muito importante. Nós merecemos esse resultado pelo segundo tempo que fizemos", comentou.

Já garantido nas semifinais do Campeonato Carioca, o Botafogo está em segundo lugar com 33 pontos e encerra a sua participação na primeira fase na próxima quarta-feira, quando vai receber o Macaé, no Engenhão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.