Renê quer que estrangeiras liderem seleção

A seleção brasileira feminina de futebol se reapresenta na segunda-feira ao técnico René Simões e, de imediato, ele fará com que as jogadoras dos clubes do exterior assumam a responsabilidade de líderes. Até o dia 25 de maio, o time treinará na Granja Comary, em Teresópolis, com o objetivo de melhorar o condicionamento físico. "Elas, por receberem toda a infra-estrutura necessária, deveriam comandar aquelas que atuam no Brasil", disse Simões. Após "enxugar" o grupo de 30 jogadoras e limitá-lo a 23 atletas, o treinador optou por permanecer com seis profissionais de clubes estrangeiros. Inclusive, não chamou a meia Milene, do Rayo Vallecano, ex-mulher do atacante Ronaldo, do Real Madrid. Milene era considerada a principal líder do grupo e, agora, a tarefa será dividida pela goleira Andréia (Puebla-ESP), as zagueiras Tania (Rayo Vallecano-ESP) e Juliana Cabral (Umea IK-Suécia), a meia Daniela (Umeak-UK-Suécia), além das atacantes Kátia Cilene e Pretinha, que estão no futebol americano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.