Arquivo/AE
Arquivo/AE

René Simões deixa Lusa após confusão no vestiário

Técnico não suporta mais um resultado ruim à frente da equipe; ameaças de conselheiro pesou na decisão

AE, Agencia Estado

26 de agosto de 2009 | 13h43

René Simões não é mais o técnico da Portuguesa. Ele entregou o cargo na tarde desta quarta-feira, após a confusão ocorrida no vestiário do Canindé na noite de terça, quando torcedores armados foram protestar pela derrota do time para o Vila Nova na Série B do Brasileiro.

Veja também:

linkPortuguesa diz que ameaças partiram de conselheiro

linkRené Simões diz que Lusa sofreu ameaça de homens armados

linkLusa perde em casa do Vila Nova e se complica

Brasileirão Série B - tabela Classificação | lista Tabela

especialSÉRIE B - Leia mais sobre a competição

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Segunda a diretoria da Lusa, os conselheiros Antônio José Vaz Pinto e Vitor Manuel Macedo Diniz, acompanhados de dois seguranças armados, foram os responsáveis pela invasão do vestiário do time na noite de terça-feira, fato que deixou René Simões indignado e assustado.

Diante disso, o treinador resolveu pedir demissão. René Simões assumiu a Lusa no dia 12 de agosto, no lugar de Paulo Bonamigo. No comando do time, ele não conseguiu nenhuma vitória: foram duas derrotas, para Vasco e Vila Nova, e um empate, com o lanterna Campinense.

Além do técnico René Simões, alguns jogadores importantes do elenco podem deixar a Portuguesa por causa das ameaças que receberam dos torcedores do clube. É o caso do meia Héverton, que interessa ao Cruzeiro, e do atacante Edno, que está nos planos do Palmeiras.

"Estamos fazendo o máximo e os resultados não estão entrando. Para mim, o torcedor deve ficar na arquibancada, mas aqui a torcida é folgada. Não estou abandonando meus companheiros, mas acima de tudo está minha vida", afirmou Edno, admitindo o desejo de sair da Lusa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.