Vitor Silva - SSPress
Vitor Silva - SSPress

René Simões exige melhora dos passes no Botafogo

Índice elevado de erros no jogo contra o Bonsucesso acarretou críticas do treinador, a despeito da goleada

Estadão Conteúdo

10 de fevereiro de 2015 | 15h53

A chegada de René Simões ao Botafogo elevou a importância do trabalho estatístico no clube. O treinador vem atuando lado a lado com os analistas de desempenho Alfie Assis e Antonio Macedo para balizar as cobranças aos jogadores, inclusive nos intervalos das partidas. Baseado nisso, ele evitou exibir empolgação com o desempenho no time na goleada por 4 a 0 sobre o Bonsucesso, no último sábado, pela terceira rodada do Campeonato Carioca.

"O jogador profissional tem que começar a lidar com isso. Em qualquer empresa que você trabalha é avaliado o tempo todo. O jogador tem que conviver bem com isso e é assim que nós trabalhamos. Erramos muitos passes contra o Bonsucesso, que não fez uma marcação sob pressão. Ontem não trabalhamos muito porque estávamos apenas 48 horas depois de um jogo, mas fizemos um trabalho de passes para melhorar nosso desempenho".

A grande preocupação de René Simões nesse momento é com a melhora da qualidade dos passes do Botafogo, minimizando os erros. "A gente está qualificando os nossos passes. Quero chegar a 700 por jogo, mas quero com qualidade. Se nós tivéssemos errado 40 passes e 30 fossem decisivos, estaria tranquilo. O passe não forçado não pode admitir erro, assim você não consegue progredir. Na marcação vamos ter um melhor entrosamento e isso só vamos alcançar jogando", afirmou.

René Simões explicou também que já recebeu informações do observador técnico Jair Ventura sobre o Bangu, adversário do Botafogo nesta quarta-feira, às 17 horas, em Moça Bonita, e prometeu que o seu time não vai ser surpreendido. 

"Conheço o Bangu e vi o jogo que eles fizeram contra o Bonsucesso. Assisti contra o Fluminense também e eles criaram oportunidades. É uma equipe muito interessante e tem alguns pequenos detalhes que eu já mostrei para o meu time. Alguns cuidados para que eles evoluam", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.