René Simões minimiza rivalidade, mas fala em Macaé 'ávido' por vitória

O Botafogo defenderá a liderança isolada da Série B do Campeonato Brasileiro neste sábado no primeiro dos dois "clássicos" estaduais que terá na competição - considerando turno e returno. O time encara o Macaé, nono colocado, fora de casa. Para o técnico René Simões, o confronto será difícil não pela rivalidade, mas sim pelo momento ruim pela qual passa o adversário na segunda divisão nacional.

MARCIO DOLZAN, Estadão Conteúdo

26 de junho de 2015 | 18h37

"Não é (um jogo) diferente. A única vantagem é que eu tenho o DVD e todos os indicadores de como foram os jogos do Macaé aqui. A vantagem é essa e não pelo fato de ser um time carioca", considerou René Simões, em coletiva concedida logo após o último treino. "Eles tiveram dois tropeços (derrotas para Bragantino e CRB) e é claro que virão ávidos por uma reação".

Inicialmente, a partida estava programada para ser disputada no estádio Mané Garrincha, em Brasília, mas foi transferida para o estádio Cláudio Moacyr, em Macaé (RJ), há cerca de duas semanas. Segundo René Simões, apesar de o jogo ser no próprio Estado do Rio de Janeiro, a mudança não foi tão positiva.

"Jogar em Macaé é mais desgastante do que em Brasília. Geralmente o trajeto é feito em uma hora e meia (de avião), mas agora vamos enfrentar quatro horas de ônibus", ponderou o treinador do Botafogo. "Mas estamos em casa e tranquilos quanto a isso".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBotafogoRené Simões

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.