Marcos Arcoverde/Estadão
Marcos Arcoverde/Estadão

René Simões reconhece a superioridade do Fluminense no clássico

Treinador do Botafogo reclama dos muitos erros de passes do time

Estadão Conteúdo

09 Março 2015 | 11h01

O técnico René Simões reconheceu que o Fluminense foi superior e mereceu vencer o Botafogo no último domingo, no Maracanã, por 3 a 1, em partida válida pela oitava rodada do Campeonato Carioca. Na avaliação do treinador, o seu time só predominou em parte do primeiro tempo, quando chegou a abrir o placar, mas depois acabou sendo vazado.

"O Fluminense foi bem melhor, mereceu a vitória, jogou melhor. Tivemos um momento de lucidez, quando Jobson encobriu o goleiro, depois fizemos o gol e tivemos outra chance. Mas em todos os outros momentos o Fluminense foi melhor, teve mais organização e qualidade técnica. Hoje, principalmente, erramos muito o nosso passe. Nada a reclamar. Jogo de quatro gols é sempre agradável, mas é bom quando é para a gente", disse. 

Para René Simões, o principal problema do Botafogo foi o excesso de passes errados do time, o que deu muitos contra-ataques ao Fluminense. Ele avaliou que o aproveitamento ruim nesse fundamento, inclusive, acabou trazendo dificuldades extras aos laterais Gilberto e Carleto. 

"Fechamos os lados, porque no início estava complicado, com eles dobrando em cima dos nossos laterais. Puxamos Gegê e Tomas, igualamos, abrimos o placar, mas eles empataram com méritos. Mas toda vez que precisávamos do passe erramos, tivemos vários impedimentos, não empurramos o Fluminense para trás. O tempo do passe estava ruim, aí ficava em impedimento. Não foi uma boa partida. O Botafogo não jogou e o Fluminense mereceu ganhar a partida", afirmou. 

René também se defendeu e tentou justificar a saída do atacante Jobson, autor do gol do Botafogo, durante o segundo tempo do clássico. "Jobson é um jogador que não acaba os 90 minutos com o mesmo potencial do início, tem uma queda normal, por tudo que viveu ano passado. Senti que estava começando a cair, porque perdeu duas bolas muito facilmente. O caso do Tássio foi um pensamento, os dois zagueiros estavam com cartões e podia dar certo. Teve uma bola e podia ter feito. Não funcionou, não tem jeito", disse. 

Para René, a derrota deve servir como aprendizado aos jogadores do Botafogo, que não podem se abater com o tropeço. "Eu falei com eles no vestiário que o Bayern de Munique foi campeão com 2 derrotas, o Cruzeiro com 6, o Joinville com 10. Se não souber encaixar o golpe, não chega ao título. Veio agora, belo aprendizado, vamos ver como todos reagem", comentou. 

Derrotado, o Botafogo foi ultrapassado pelo Vasco e está em segundo lugar no Campeonato Carioca com 19 pontos. O time volta a entrar em campo na próxima quarta-feira, quando vai enfrentar o Tigres, no Engenhão, pela nona rodada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.