Christof Stache/AFP e Andreas Gebert/AFP
Christof Stache/AFP e Andreas Gebert/AFP

Renegando favoritismo, Bayern e Real se enfrentam em 7ª semifinal

Alemães e espanhóis lutam para chega à decisão da Liga dos Campeões

O Estado de S.Paulo

25 de abril de 2018 | 07h00

Bayern de Munique e Real Madrid abrem nesta quarta-feira, às 15h45 (de Brasília), na Allianz Arena, o sétimo mata-mata válido por uma semifinal de Liga dos Campeões travado pelos dois clubes na história. Doze vezes campeão continental e vencedor de três das últimas quatro edições da competição, o time espanhol carrega um favoritismo natural na luta por uma vaga na decisão, mas não aceita assumir esta condição, como deixou claro o técnico Zinedine Zidane na entrevista coletiva que concedeu nesta terça.

+ Boateng exalta CR7, mas diz confiar no avanço do Bayern à decisão

+ Zidane nega favoritismo e minimiza retrospecto favorável contra o Bayern

+ Kroos prevê mata-mata mais duro em reencontro: 'Bayern melhorou muito'

+ Heynckes confirma Alaba e Tolisso como dúvidas e vê jogo 'sem favoritos' 

A tradição do adversário e o próprio histórico do duelo entre os dois clubes em semifinais faz o Real um discurso cauteloso, sem deixar transparecer qualquer confiança exagerada. As duas equipes já se enfrentaram em 24 oportunidades do torneio continental, sendo que o time bávaro levou a melhor em quatro das semifinais travadas entre os clubes até hoje.

Na temporada passada, porém, o Real despachou o Bayern nas quartas de final. Mas o histórico recente não ilude Zidane. "Não há nada de favoritismo, nem para um e nem para outro. É uma semifinal, é diferente do que aconteceu no ano passado. É outra partida. Estamos nas semifinais e queremos jogar uma boa partida. Estamos preparados para isso, sabendo que vamos ter que sofrer, mas isso é o futebol", disse o comandante nesta terça.

Nas quartas de final do ano passado, o Real derrotou o Bayern na Alemanha por 2 a 1, mas foi surpreendido na volta pelo mesmo placar. Na prorrogação, marcou três vezes para garantir a vaga à semifinal, dando sequência à campanha que culminaria no seu 12º título da Liga dos Campeões.

Naquele confronto, Cristiano Ronaldo foi fundamental ao marcar cinco dos seis gols do Real. Agora, Zidane conta com o português novamente em alta para eliminar o mesmo adversário. "Sabemos o peso do Cristiano e esperamos que ele esteja bem amanhã (nesta quarta)", disse o francês.

Outro nome importante para o Real é Sergio Ramos, que cumpriu suspensão na segunda partida das quartas de final contra a Juventus e volta ao time. "É nosso capitão e líder. É muito importante para nós. Quando o Sergio joga, é melhor para a equipe", apontou Zidane.

BAYERN COM DÚVIDAS

Pelo lado do Bayern, o técnico Jupp Heynckes confirmou nesta terça-feira que o lateral austríaco David Alaba e o meio-campista francês Corentin Tolisso são dúvidas do time para o jogo em Munique, também qualificado por ele como um embate "sem favoritos".

Em entrevista coletiva na Allianz Arena, o treinador avisou que só vai decidir horas antes da partida sobre a utilização dos dois jogadores. Alaba luta para se recuperar de uma lesão nas costas há algumas semanas e ficou fora do treinamento final realizado nesta terça, enquanto Tolisso tem um problema na canela de uma das pernas.

"Sobre David Alaba e Corentin Tolisso, eu decidirei amanhã pela manhã se eles serão incluídos no grupo que irá para o jogo", afirmou Heynckes, que já tem como desfalque de peso certo para este mata-mata o meio-campista chileno Arturo Vidal, que foi submetido a uma cirurgia no joelho direito no último dia 16 depois de se lesionar de forma grave em um treinamento. "As equipes das semifinais da Liga dos Campeões têm de lidar com lesões. Arturo é para mim um jogador muito importante, por exemplo. Mas nós precisamos compensar esta perda", ressaltou o comandante.

Mesmo com os desfalques, Heynckes está otimista com a possibilidade de o Bayern obter uma boa vitória nesta partida de ida da semifinal, mas enfatizou: "Não há favoritos amanhã (nesta quarta), embora eu tenha um bom sentimento em relação a nós".

O último título da Liga dos Campeões que o Bayern conquistou foi justamente sob o comando de Heynckes, em 2013, e ele aposta no bom momento vivido pelo seu time, campeão alemão por antecipação com sobras nesta temporada e vencedor de oito das dez partidas disputadas até agora nesta edição da competição continental.

"Em uma semifinal com times com tanta tradição na Liga dos Campeões como estes não há um favorito. Você poder dizer que o Real venceu os dois últimos títulos de forma seguida e talvez tenha uma vantagem, mas nós estamos em uma condição muito boa", lembrou o treinador. "Ganhamos o Campeonato Alemão, estamos na final da Copa da Alemanha, estamos fazendo uma temporada fora de série e queremos coroá-la com a passagem à final", reforçou.

 

EQUILÍBRIO HISTÓRICO  

Os números gerais do histórico do confronto entre Real e Bayern  na Liga dos Campeões também apontam um equilíbrio impressionante. Em 24 jogos, são 11 vitórias para cada lado e dois empates, sendo que o time espanhol marcou 37 gols e a equipe alemã balançou as redes por 36 vezes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.