Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Renovar contrato de Guerrero é a prioridade do Corinthians

Fracasso na negociação com o atacante Dudu expôs o problema financeiro vivido pelo clube alvinegro neste início de temporada

O Estado de S. Paulo

11 de janeiro de 2015 | 07h00

O fracasso na negociação com o atacante Dudu expôs o problema financeiro vivido pelo Corinthians neste início de ano. O clube não tinha como pagar duas parcelas de 1,5 milhão de euros (uma à vista, outra em março) como exigia o Dínamo de Kiev.

Se pagasse o que o clube ucraniano exigisse, o Corinthians comprometeria até a folha de pagamento. O salário em carteira ainda está sendo pago em dia, mas há atrasos generalizados em direitos de imagem. "Saímos fora. O Corinthians não vai contratar Dudu enquanto eu for o presidente", disse Mário Gobbi, que fica no cargo só até as eleições, em fevereiro.

Gobbi reconhece que os direitos de imagem estão atrasados, como citou o meia Renato Augusto antes de o elenco embarcar para os Estados Unidos para a pré-temporada.

As contratações que o clube fez para esta temporada foram modestas, como ex-lateral-direito do Botafogo, Edílson, e o atacante Stiven Mendoza, que estava no futebol da Índia. O volante Cristian, reforço "badalado", ganha cerca de R$ 400 mil por mês, mas foi contratado sem custo para o clube.

O principal investimento para a temporada deve ser a renovação do contrato do atacante Guerrero, que discute com a diretoria o valor das luvas para assinar um novo vínculo – o atual vence no meio do ano.

Mário Gobbi disse que vai esperar o atacante peruano voltar da pré-temporada para tentar um novo acordo. "Se eu quero que o Paolo fique, como vou gastar milhões com Dudu?", questionou o presidente na última sexta-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansGuerrero

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.