Reprodução
Reprodução

Repórter da TV do Flamengo relata assédio de torcedores e clube se manifesta

Ação de rubro-negros aconteceu durante partida contra o Resende, no Maracanã, na última segunda

Andreza Galdeano, O Estado de S.Paulo

04 de fevereiro de 2020 | 20h10
Atualizado 05 de fevereiro de 2020 | 16h35

A repórter Julie Santos, da Fla TV, canal oficial do Flamengo, usou sua conta nas redes sociais para contar que foi assediada por torcedores do clube no Maracanã durante uma gravação para a partida entre o time rubro-negro e o Resende, na última segunda-feira. Após a repercussão, o próprio Flamengo repudiou o ato de seus seguidores.

"Gente, eu amo gravar com a torcida. Hoje na hora de encerrar o vídeo dos bastidores, se aproveitaram para passar a mão em mim. Isso é uma falta de respeito!", escreveu Julie. Em entrevista ao Estado, a repórter destacou a importância da repercussão do caso. "Eu estou feliz porque as pessoas têm a consciência do quanto esse assunto é importante por acontecer diariamente e precisa ser falado. Eu consegui perceber isso hoje", comentou a jornalista. 

Ainda nas redes sociais, a repórter completou o desabafo. "Eu tiro foto com todo mundo que me pede, já estou acostumada em ouvir sempre 'Julie, você é a mulher da minha vida', 'você é linda', 'casa comigo' e até brinco (com a situação) . Mas passar a mão em mim é uma falta de respeito", acrescentou.

Em suas publicações, ela afirmou que não conseguiu ver quem foi, já que o ato aconteceu quando os torcedores estavam pulando e cantando juntos no estádio. "Uma vez eu estava fazendo a entrevista e ouvi alguém gritando 'passa a mão na bunda dela', só que o entrevistado disse 'tá maluco, olha o respeito'. E dessa vez a pessoa apertou a minha bunda", escreveu Julie.

Após o relato, a repórter recebeu diversas mensagens de apoio nas redes. O próprio Flamengo se manifestou sobre o caso. "O Clube de Regatas do Flamengo repudia o lamentável fato ocorrido com a repórter da FLA TV, Julie Santos, na partida contra o Resende. E também reitera seu apoio às mulheres, que sofrem com assédio diariamente. Essa luta é de todos nós", publicou o clube em sua conta no Twitter. A jornalista agradeceu a mensagem. "O Flamengo é um time grande e eu não esperava menos. É importante para conscientizar as pessoas sobre essas situações. Foi comigo dessa vez, mas acontece no dia a dia de milhares de torcedoras", lamentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.