Representantes de Amoroso acusam Borussia

Acusado de falta de profissionalismo pelo seu clube, o Borussia Dortmund, o atacante Amoroso resolveu contra-atacar. Apesar de os alemães avisaram que irão rescindir o contrato do brasileiro, ele se antecipou e disse, através de seus representantes, que não volta mais para lá.Os problemas entre as duas partes começaram em setembro de 2003, quando Amoroso sofreu grave contusão no joelho direito. Contrariando decisão do clube, o brasileiro seguiu para os Estados Unidos, onde foi operado. Depois, voltou a bater de frente com os patrões e decidiu fazer a recuperação no Brasil.Segundo Nivaldo Baldo, fisioterapeuta e empresário de Amoroso, o jogador está com salários atrasados no clube alemão. "Ele deverá voltar ao futebol em junho, mas não no Borussia. Já encaminhamos notificação à Fifa de todos os problemas verificados na Alemanha, inclusive de racismo por parte do técnico e da diretoria?, contou o responsável pela carreira do atacante.A acusação de racismo é contra o treinador Mathias Sammer.?Ele tem um contrato que prevê multa de 8 milhões de euros. Assim, ele faz e desfaz em cima dos brasileiros. O Flávio Conceição é outro jogador que vai deixar o clube", revelou Nivaldo Baldo.Amoroso está no Borussia desde 2001, quando foi contratado junto ao Parma, da Itália. Foi campeão e artilheiro do Campeonato Alemão em 2002, tornando-se um dos ídolos da torcida local. "Como o clube se afundou em dívidas, quer descontar sua péssima administração nos jogadores estrangeiros?, explicou Nivaldo Baldo. ?O salário do Amoroso está atrasado. E pior que não pode nem reclamar. Por um cláusula contratual, ele não pode dar entrevistas contra o clube. Teria que pagar uma multa de 50 mil euros por cada entrevista."O advogado do jogador, Pedro Adib, admitiu que a Fifa já foi avisada da situação. "Desde janeiro que estamos notificando o Borussia para regularizar o pagamento dos salários, mas não foi levado em consideração. O problema agora está nas mãos da Fifa."

Agencia Estado,

30 de março de 2004 | 19h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.