Celso da Luz/Criciúma
Celso da Luz/Criciúma

Representantes do Palmeiras vão a Criciúma negociar dívida por Wesley

Presidente do clube e Felipão visitam equipe enquanto tentam resolve problema jurídico

Redação, O Estado de S. Paulo

12 de abril de 2019 | 17h52

Uma comitiva do Palmeiras viajou nesta sexta-feira para Criciúma. O presidente do clube, Mauricio Galiotte, embarcou rumo a Santa Catarina para negociar uma dívida referente à contratação do meia Wesley, em 2012. Um dos encontros na cidade será com o fiador da transferência, Antenor Angeloni, que é ex-presidente do Criciúma e cobra na Justiça valores referentes à negociação.

Wesley ficou no Palmeiras de 2012 a 2015 e atualmente defende o próprio Criciúma. O jogador custou cerca de R$ 21 milhões na época e pertencia ao Werder Bremen na ocasião. Quando fez a compra do meia, o Palmeiras tentou bancar a operação com recursos doados por torcedores, mas só conseguiu angariar cerca de R$ 800 mil.

Quem acompanhou Galiotte na viagem foi o técnico Luiz Felipe Scolari e o gerente de futebol, Cícero Souza. Os dois aproveitaram para visitar o clube antes de seguirem viagem para Porto Alegre, onde vão passar o fim de semana de de folga. A dupla se encontrou ainda com o técnico do Criciúma, Gilson Kleina, que também dirigiu o Palmeiras em anos anteriores.

Felipão tem uma ligação forte com o Criciúma. O técnico dirigiu a equipe na conquista da Copa do Brasil de 1991, primeiro título nacional do treinador. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.