Reservas da seleção brasileira tentam provar o seu valor

Assim como a equipe titular, o banco de reservas da seleção brasileira é cheio de astros do futebol mundial. Até agora, poucos tiveram a chance de provar seu valor nesta Copa. Mas o técnico Carlos Alberto Parreira pode dar chance a mais alguns na partida desta quinta-feira, contra o Japão, em Dortmund, quando o já classificado Brasil encerra a sua participação na primeira fase. Antes de a Copa começar, Parreira chegou a declarar que o time reserva do Brasil é superior a muitas seleções que estão na Alemanha. De fato, são muitos astros que ficam no banco brasileiro, como Cicinho, Gilberto Silva, Juninho Pernambucano e Robinho, entre outros. ?O ponto mais forte do Brasil é que temos 23 jogadores do mesmo nível. Acho que nenhuma outra seleção tem isso?, chegou a dizer Parreira. ?Enfrentar o time reserva no treino é muito difícil?, admitiu o atacante Ronaldo durante a fase de preparação na cidade alemã de Königstein. Mas, até agora, Parreira usou pouco os seus reservas. Quem teve mais oportunidades foi o atacante Robinho, que disputou os dois jogos do Brasil, contra Croácia e Austrália. Ele entrou as duas vezes no segundo tempo, ambas no lugar de Ronaldo. E foi bem. Na partida contra a Austrália, dois outros reservas tiveram chance de entrar. Gilberto Silva substituiu Emerson na metade do segundo tempo e melhorou a marcação brasileira. Já Fred entrou no lugar de Adriano, nos minutos finais, e ainda conseguiu marcar um dos gols da vitória por 2 a 0. Quem vai ganhar sua chance? Como o Brasil já está classificado, Parreira pensa em poupar alguns titulares na partida contra o Japão, na quinta-feira. Assim, os badalados reservas da seleção devem ganhar nova chance para mostrarem seu valor. Os mais cotados para começar jogando contra o Japão são Cicinho e Gilberto Silva, nos lugares de Cafu e Emerson, ambos pendurados com 1 cartão amarelo. Mas Juninho Pernambucano, Robinho e Fred esperam ansiosos por uma oportunidade, caso Parreira queira mexer no quadrado mágico. ?Temos que estar preparados para jogar e se eu entrar em campo, vou tentar fazer até mais do que posso?, avisou o lateral Cicinho. ?Acho que tenho condição de jogar sempre, mas depende do treinador. Enquanto isso, trabalho e espero minha oportunidade?, afirmou Juninho Pernambucano. Parreira ainda não anunciou se vai realmente mexer no time. Mas ele está tranqüilo com a possibilidade de dar um descanso aos titulares. Mesmo estando no banco, os jogadores reservas mostram muita motivação, esperando uma chance de provarem seu valor. Programação A seleção brasileira treina completa nesta terça-feira à tarde, a partir das 16h45 (11h45 pelo horário de Brasília), na cidade de Bergisch Gladbach, localizada na região de Colônia. Será a chance de Parreira definir o time para o jogo de quinta, contra o Japão, já que os titulares não participaram do trabalho de campo realizado na segunda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.