ALex Silva/AE - 17/7/2011
ALex Silva/AE - 17/7/2011

Resistência de clubes brasileiros preocupa Mano

Técnico da seleção acredita que será complicado negociar liberação de atletas

Jamil Chade - O Estado de S. Paulo

07 de setembro de 2011 | 08h28

Por anos, a CBF teve nos clubes europeus seu principal inimigo. A liberação de jogadores para a seleção brasileira custou negociações, acordos e até pagamentos de compensações. Hoje, o time de Mano Menezes vive nova realidade: a de convencer os clubes brasileiros a liberar seus convocados. O treinador garantiu que não vai ceder à pressão de cartolas de clubes na hora de fazer suas listas.

Mano confirmou que a negociação com os clubes brasileiros será uma de suas principais dores de cabeça nos próximos meses. “Vamos ter de conversar com os dirigentes’’, disse. Ele garante que não irá poupar um ou outro jogador por conta de pressão de times. “Não tem como fazer isso. A prioridade é a preparação.’’

A pessoas próximas, o treinador já fez saber que os cartolas estão abrindo uma guerra “equivocada’’. Mano não entende por que os dirigentes têm usado a imprensa para atacar a seleção, enquanto a forma mais eficiente seria negociar uma maneira de trabalhar entre a CBF e os clubes. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.