Reprodução
Reprodução

Responsável por investigar manipulação de jogos, diretor da Fifa pede demissão

Ralf Mutschke trabalhava na entidade desde junho de 2012

Estadão Conteúdo

05 de dezembro de 2016 | 15h15

Dirigente da Fifa responsável por investigar casos de manipulação de resultados, o alemão Ralf Mutschke deixou seu cargo na entidade máxima do futebol mundial nesta segunda-feira. Com passagem pela Interpol, Mutschke não justificou sua saída, a poucos meses da Copa das Confederações, na Rússia.

Mutschke era diretor de segurança da Fifa desde junho de 2012. Ele tinha como uma de suas principais funções investigar casos de manipulação de resultados, cujas denúncias cresceram nos últimos anos. O alemão também tinha por atribuição cuidar da segurança da sede da Fifa, em Zurique, do próprio presidente da entidade, além de tratar de outras questões relacionadas à integridade do esporte.

Com experiência de ter atuado como diretor da Interpol na Alemanha, Mutschke é o último dirigente da era Joseph Blatter a deixar a Fifa. Além de ter passado pela Interpol, ele atuou como diretor do Escritório Federal de Investigação Criminal (BKA) em seu país.

Desde que assumiu o cargo na Fifa, o dirigente alemão se notabilizou por uma mudança de estratégia na entidade, ao dar atenção a instrução das federações filiadas no combate a infrações esportivas. Mutschke estimulou as federações a conduzirem suas próprias investigações.

Um dos últimos remanescentes da gestão Blatter, o alemão deixa a Fifa a 18 meses do início da Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.