Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Ressentido, Mano diz ter sido primeiro a defender ida de Neymar para a Europa

'Quando a gente enxerga um pouco antes e fala, toma porrada para caramba', diz técnico, que afirmou ter sido chamado de 'corintiano' por sua opinião

O Estado de S. Paulo

29 de abril de 2013 | 23h19

SÃO PAULO - O técnico Mano Menezes demonstrou ressentimento ao comentar as críticas que recebeu quando deu opinião favorável à ida de Neymar para o futebol europeu. O treinador disse que foi um dos primeiros a defender que o atacante santista deveria se transferir e, por isso, "levou muita porrada".

 

"Quando a gente enxerga um pouco antes e fala, toma porrada para caramba. Quando eu falei, disseram que eu era corintiano e até o Rei (Pelé) disse que eu era contra o Santos", disse o ex-treinador da seleção durante o programa Bem Amigos, do SporTV.

 

Para ele, Neymar deixou de ter desafios no Brasil há muito tempo. "Era óbvio que isso iria acontecer. Os desafios do Neymar passaram a não existir mais. Percebi que ele estava sobrando na turma e era hora (de se transferir)", falou o treinador, que foi além. "Se Neymar tivesse ido antes, talvez já teria encontrado soluções para as dificuldades que encontra agora (jogando pela seleção)."

 

Pelo raciocínio do treinador, Neymar já teria aprendido como se livrar de uma marcação mais curto, como jogar com espaço menor do que encontra no futebol brasileiro.

 

O coordenador técnico da seleção brasileira, Carlos Alberto Parreira, também entende que a Europa faria bem para Neymar. "Ele deveria ter saído dois anos atrás. Agora está muito em cima. Mas, se tiver que sair, que seja na próxima janela (no meio do ano) e para um time onde vá ser titular."

 

Ronaldo, cuja agência trabalha com o craque, também saiu em defesa de Neymar. "A responsabilidade que estão colocando nas costas do Neymar é injusta. A seleção brasileira não tem uma equipe formada, não tem ainda estilo de jogo. Mas tenho certeza de que ele vai brilhar", disse Ronaldo, há muito tempo defensor da ida de Neymar para a Europa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.