Hélvio Romero/Estadão
Hélvio Romero/Estadão

Retrospectiva 2018: Relembre 10 fatos que marcaram o ano do Palmeiras

Temporada do clube teve título brasileiro, eleição presidencial, briga nos bastidores e retorno de Felipão

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

24 Dezembro 2018 | 04h30

O ano de 2018 será lembrado na história do Palmeiras por fatos marcantes dentro e fora de campo. A conquista do 10º título brasileiro foi o ápice dos momentos gloriososo vividos no gramado. Já fora dele, nos bastidores, a equipe passou por outros momentos memoráveis, como polêmicas com a patrocinadora, briga sobre arbitragem, mudança do estatuto e reeleição. O Estado separou nesta retrospectiva os dez principais momentos da temporada.

Clube e Crefisa refazem formato do contrato

Em janeiro, o Estado revelou que o Palmeiras e a Crefisa tiveram de refazer os contratos dos jogadores contratados com o dinheiro da patrocinadora. Uma multa aplicada pela Receita Federal levou os acordos a deixarem de ser caracterizados como propriedades de marketing, para virarem empréstimos. Com isso, a equipe alviverde passou a ter de devolver R$ 120 milhões para a empresa. A notícia levou a oposição do clube a cobrar o presidente Mauricio Galiotte, que acabou por enfrentar críticas também do Conselho de Orientação e Fiscalização (COF)

Derrota na final do Paulista causa crise no clube

O Palmeiras viveu um dos piores momentos do ano em abril. A derrota na final do Campeonato Paulista para o Corinthians ficou marcada pelas críticas ao elenco e principalmente pela polêmica com a arbitragem. O clube fez um dossiê e preparou provas para embasar a reclamação de que houve interferência externa na decisão do árbitro Marcelo Aparecido de Souza em cancelar a marcação de um pênalti. O departamento jurídico alviverde levou a briga por mais cinco meses, até uma derrota no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) encerrar o caso.

Palmeiras bate o Boca na Bombonera e sonha alto na Libertadores

A derrota na final do Campeonato Paulista deu lugar a uma euforia semanas depois. O time comandado pelo técnico Roger Machado bateu o Boca Juniors na Bombonera por 2 a 0 e garantiu classificação antecipada às oitavas de final da Copa Libertadores. O resultado ajudou o clube a terminar a fase de grupos com a melhor campanha geral. A campanha, porém terminou diante do mesmo time argentino, em encontro válido pela semifinal.

Clube altera o estatuto após votação polêmica

O mês de maio teve uma disputa eleitoral antecipada. A situação e a oposição batalharam e até fizeram campanhas de convencimento interna sobre a alteração do tempo de mandato do presidente, que acabou ampliado de dois para três anos. O tema passou por aprovação no Conselho Deliberativo como também entre os sócios. Assim, a eleição realizada em novembro deu ao vencedor a oportunidade de trabalhar durante três anos na gestão.

Após três meses afastado, Gustavo Scarpa volta ao Palmeiras

O meia Gustavo Scarpa precisou esperar para poder ficar tranquilo no Palmeiras. Contratado em janeiro, o jogador teve o contrato rescindido em março, quando o Fluminense conseguiu reativar o vínculo na Justiça. Foram três meses parado até o atleta retornar ao time alviverde. Apesar de estar liberado para atuar, as brigas seguiram até outubro, quando Scarpa e Fluminense selaram um acordo.

Derrota para o Fluminense sela demissão de Roger Machado

Uma derrota por 1 a 0 para o Fluminense, no Maracanã, em julho, encerrou a passagem do técnico Roger Machado pela equipe. A diretoria anunciou a decisão horas depois, por entender que apesar do aproveitamento de pontos ser convincente e o Palmeiras ter conseguido a melhor campanha da fase de grupos da Libertadores, as atuações estavam abaixo do esperado.

Felipão chega para salvar o ano

O técnico Luiz Felipe Scolari atendeu uma ligação na madrugada em sua casa, em Portugal. Era um chamado do Palmeiras, e ele não recusou. Em agosto o treinador se apresentou para uma terceira passagem pela equipe, consciente que tinha um bom elenco à disposição e condições de trabalho muito boas. Motivado, ele afirmou que se sentia em casa no Palmeiras.

Rodízio de titulares vira marca no segundo semestre

O trabalho de Felipão teve uma estratégia diferente. O treinador dividiu o elenco em dois grupos. Um deles atuou em competições mata-mata e o outro, foi escalado em compromissos do Campeonato Brasileiro. A estratégia ajudou a equipe a se manter na briga pelo título em três competições e agradou os jogadores, que disseram se sentir motivados com essa escolha.

Galiotte supera ex-vice e garante reeleição no Palmeiras

Em uma campanha marcada por divergências sobre a Crefisa, o atual presidente do Palmeiras, Mauricio Galiotte, derrotou o seu antigo vice, Genaro Marino Neto, em eleição realizada em 24 de novembro. O mandatário garantiu assim mais três anos no comando do clube. Como uma das primeiras atitudes, tratou de renovar o contrato do diretor de futebol Alexandre Mattos. 

Deca do Brasileiro consagra semestre vitorioso

O ano do Palmeiras terminou com um título festejado em grande título. O 10º título brasileiro foi confirmado graças a uma campanha com 24 jogos seguidos de invencibilidade e destaques individuais, como Dudu e Felipão. A partida decisiva foi contra o Vasco, em São Januário. Na rodada final o clube ergueu a taça no Allianz Parque lotado e com a presença do presidente eleito Jair Bolsonaro.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.