Márcio Fernandes/Estadão
Márcio Fernandes/Estadão

Reunião com prefeitura deve decidir o futuro do estádio do Canindé

Ideia inicial é que estádio sofra uma diminuição e área seja aproveitada para construção de um centro comercial e um hotel

Gonçalo Júnior, O Estado de S. Paulo

17 de dezembro de 2014 | 08h40

A primeira reunião técnica entre funcionários da Prefeitura e da área de patrimônio da Portuguesa, que será realizada na próxima semana, vai começar a tirar do papel o projeto de modernização do Canindé. O estádio possui uma área da Portuguesa e outra em comodato com a prefeitura. 

A ideia inicial é transformar parte do estádio que está em comodato em um centro comercial, com hotel e um centro de convenções, concretizando o projeto municipal de revitalização da região do Tietê que, segundo funcionários, teria de acompanhar o desenvolvimento dos arredores do Rio Pinheiros. Por outro lado, a Portuguesa teria recursos para saldar parte de suas dívidas e ficaria com um estádio menor, com cerca de 20 a 25 mil lugares no mesmo lugar onde fez sua história. Apesar da possível diminuição do estádio do Canindé, a parte social do clube deve ser mantida. 

O projeto foi discutido em uma reunião entre o prefeito Fernando Haddad e o presidente da Portuguesa Ilídio Lico. "Essa é a única saída da Portuguesa. É um clube que não tem renda, patrocínio e está na Série C", diz o vereador Marco Aurélio Cunha, idealizador do projeto.

Tudo o que sabemos sobre:
PortuguesafutebolCanindé

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.