Reunião decidirá o futuro de Passarella

Daniel Passarella chegou ao Pacaembu, na tarde deste domingo, pendurado por um fio no cargo de técnico do Corinthians. Cada um dos cinco gols são-paulinos corroeu um pouco esse fio, mas a corda não arrebentou, ao menos não no vestiário após a humilhante derrota, e o argentino foi dormir com a cabeça cheia, mas com o emprego garantido. Pelo menos até esta segunda-feira, quando a cúpula do Corinthians e da MSI deve voltar a se reunir para discutir a situação do treinador."É um momento muito doloroso, mas interiormente tenho a força para continuar", afirmou Passarella, após o jogo. "Se não estivesse em condições de continuar, eu daria um passo atrás. Estamos passando um mau momento e, assim como sou sincero ao dizer isso, sou honesto e digo que o Corinthians vai superar essa situação." O treinador corintiano começou a balançar no cargo após a eliminação da Copa do Brasil, na quarta-feira, com a derrota por 2 a 0 para o Figueirense, em Florianópolis, seguida de 3 a 2 na disputa de pênaltis.Seu trabalho foi questionado pelo mau resultado e pelos polêmicos afastamentos do goleiro Fábio Costa, que deve deixar o clube, e do meia Roger e do zagueiro Betão, que começaram na reserva em Santa Catarina e em seguida voltaram ao time.Passarella, porém, cujo contrato vai até 31 de dezembro, diz que seguirá firme nas suas posturas e que o time não foi tão mal quanto o placar indica. "Foi um jogo vibrante. Lamento muito o resultado, pelo torcedor corintiano. Os dois times tiveram a mesma quantidade de oportunidades, mas o São Paulo foi certeiro e as concretizou quase todas as chances. Nós não", afirmou. "Não houve predomínio total do São Paulo no jogo. E nosso jogadores mostraram fibra, orgulho, e lutaram mesmo perdendo por 3 a 0 desde o início." O argentino, agora, comemora o fato de ter uma semana inteira para trabalhar o time e promete recuperação. "É um dos maiores clubes do mundo e, quando não há resultado, vai haver problemas. Sempre fui homem de enfrentá-los. O melhor aliado do Corinthians agora vai ser o tempo." Se o tempo será passado com Passarella no comando, a resposta virá nesta segunda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.