Reunião do conselho deliberativo do Guarani ainda gera polêmica

Diretoria tenta explicar que as contas da gestão de Horley Senna não foram reprovadas

Estadão Conteúdo

22 de dezembro de 2016 | 20h30

Dois dias após a reunião do conselho deliberativo do Guarani, o assunto ainda gera polêmica nos bastidores do clube. A previsão orçamentária para 2017 ficou para ser definida em nova reunião a ser marcada em janeiro. Mas a diretoria tratou de explicar que não houve reprovação de contas do presidente Horley Senna.

Tanto que o presidente do conselho, o advogado Palmeron Mendes Filho, teve que vir a público e reconhecer que houve um erro na publicação do edital de convocação. Isso gerou um erro também na divulgação do resultado da reunião, a princípio taxada como previsão reprovada.

O edital falava em apresentação da previsão orçamentária e não na deliberação. Segundo o presidente Horley Senna, foi feito tudo que estava imposto no estatuto. O presidente tratou de negar a informação de que direcionou todas as receitas para pagar contratações e folha salarial da equipe. O mandatário falou que "um presidente precisa pensar em todos os setores do clube, até porque, se não, teria que fechar as portas".

Estas versões diferentes da reunião são creditadas pela diretoria ao fato de que há alguma movimentação no clube para as eleições presidenciais, inicialmente, prevista para o mês de março.

Tudo o que sabemos sobre:
GuaraniFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.