Lucas Uebel/Grêmio
Lucas Uebel/Grêmio

Reunião no Grêmio nesta quinta-feira vai avaliar a permanência de Renato Gaúcho

Treinador renovou seu contrato há pouco tempo antes de ser eliminado da Libertadores na fase classificatória

Redação, Estadão Conteúdo

15 de abril de 2021 | 10h50

Após testar positivo para a covid-19 na semana passada, Renato Gaúcho não estava à beira do campo na derrota por 2 a 1 do Grêmio para o Independiente del Valle, do Equador, na quarta-feira, em Porto Alegre, que culminou com a eliminação precoce do clube na Copa Libertadores, ainda na terceira fase preliminar, antes, portanto, da etapa de grupo. O peso disso cai nas costas do técnico, que pode não comandar mais o clube tricolor embora tenha contrato.

A direção do Grêmio marcou uma reunião nesta quinta-feira para debater a permanência de Renato, que está no comando tricolor desde 2016 e já vinha dando sinais de desgaste. O encontro deve ser também de pressão no presidente Romildo Bolzan Júnior, que ainda mantém o respaldo ao comandante. Em sua terceira passagem, ele se tornou o técnico com mais jogos na história gremista e ganhou uma estátua no clube. Ele conquistou os títulos da Copa do Brasil (2016), da Libertadores (2017), da Recopa Sul-Americana (2018), de três Campeonatos Gaúchos (2018, 2019 e 2020) e uma Recopa Gaúcha (2019).

O vice-presidente Cláudio Oderich não descartou uma troca no comando neste começo de temporada. No encontro, devem participar todos os membros do Conselho de Gestão, presidido por Romildo Bolzan Júnior e que tem mais seis vice-presidentes: Marcos Herrmann, Paulo Luz, Duda Kroeff, Guto Peixoto e Adalberto Preis, além de Oderich. Isolado e em recuperação da covid-19, Renato Gaúcho está cumprindo o período de afastamento e não participou das duas partidas contra os equatorianos. No fim da última temporada, o treinador renovou o seu vínculo com o Grêmio até dezembro de 2021.

Com a eliminação, o time tricolor volta sua atenção para a Copa Sul-Americana, que não disputa desde 2012. Os adversários na fase de grupos serão Lanús (Argentina), La Equidad (Colômbia) e Aragua (Venezuela). O auxiliar Alexandre Mendes, que comanda a equipe na ausência de Renato, admite que os jogadores sentiram a derrota, mas promete rápida virada de página. O clube tambem perdeu dinheiro ficando fora da Libertadores.

"A gente espera que os jogadores sintam, mas que virem a página rapidamente. Temos competições importantes pela frente. Foco no Gauchão e na Sul-Americana. Hoje (quarta-feira), possivelmente, os jogadores estão combalidos, sentindo a derrota. A partir de amanhã (quinta), precisamos virar a página", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolGrêmioRenato Gaúcho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.