Reunião oficializa saída de Gomes nesta 3ª

Ao desembarcar nesta segunda-feira à noite no Aeroporto Internacional Tom Jobim, o técnico Ricardo Gomes não quis comentar sobre o seu futuro e lamentou não ter atuado ?com o regulamento embaixo do braço? na partida contra o Paraguai, domingo, que eliminou a Seleção Sub-23 dos Jogos Olímpicos de Atenas. O treinador foi recepcionado no aeroporto pelo Supervisor da Seleção, Américo Faria, e numa rápida conversa já teria sido comunicado de sua demissão.No entanto, ambos negaram ter tratado sobre o assunto, mas Gomes ficou de se encontrar nesta terça-feira com o presidente da CBF, Ricardo Teixeira. ?Evidentemente que uma seleção sub-23 só existe antes da olimpíada. Quanto ao meu futuro não me preocupa no momento?, afirmou ciente de que não existe espaço para ele permanecer trabalhando na CBF. ?Falei com o presidente após o jogo e recebi seu apoio. Quanto se permanecerei ou não na seleção, só falarei após o nosso encontro?.Gomes não concordou com a afirmação de que houve ?oba-oba? no grupo. Lembrou que as comemorações ficaram restritas ao término dos jogos. Ele negou que tenha ocorrido algum desentendimento entre os jogadores ou a formação de ?panelas? entre os atletas. ?O grupo se empenhou bastante durante toda a disputa. Mas ficou evidente que nós não conseguimos reunir todas as qualidades individuais em torno da equipe?, explicou. ?A única coisa que lamento é ter escalado três atacantes na última partida e não ter colocado o Adaílton desde o início na zaga?.

Agencia Estado,

26 de janeiro de 2004 | 22h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.