Washington Alves/Vipcomm
Washington Alves/Vipcomm

Réver e Dedé disputam vaga no time de Felipão para Copa das Confederações

Amistoso com o Chile pode ser a última chance dos zagueiros se garantirem na seleção brasileira

Almir Leite - Enviado especial, Agência Estado

23 de abril de 2013 | 09h21

BELO HORIZONTE - A partida desta quarta-feira entre Brasil e Chile, às 22 horas, no Mineirão, será, para vários jogadores, a última chance de entrar no grupo que vai participar da Copa das Confederações. Luiz Felipe Scolari tem algumas dúvidas e isso naturalmente cria uma briga por posições. Uma destas disputas é entre dois amigos, os zagueiros Réver e Dedé.

A rigor, eles brigam pela vaga restante num setor que já tem Thiago Silva e David Luiz garantidos e Dante com chance quase total de já ter assegurado a vaga. E, além de uma briga leal, prometem até mesmo ajudar um ou outro, tanto no treino desta tarde como na partida desta quarta, quando deverão formar a dupla de zaga titular.

Ambos têm pouco contato, mas se dizem amigos das poucas vezes em que foram chamados para a seleção. "Dedé é um excelente jogador, sou fã dele e ficou meu amigo nas vezes em que fomos convocados juntos", assegura Réver. "Vou torcer por ele, claro que nós dois queremos ir para a Copa das Confederações. Mas se não for eu, e sim ele, ficarei satisfeito. E vou torcer por ele", completou.

Dedé também tem palavras elogiosas em relação ao companheiro. "É um grande jogador e um ótimo cara. A seleção está bem servida com ele."

Independentemente dos afagos, o fato é que ambos estão no meio de uma disputa e têm consciência de que precisam ir bem contra os chilenos. "É uma mais oportunidade de me consolidar na seleção e garantir a vaga na Copa das Confederações", diz Dedé. "É a chance final para mostrar serviço e ficar no grupo, que é meu objetivo", admite Réver. "Mas isso não quer dizer que eu e o Dedé não nos ajudaremos dentro do campo. Vamos nos ajudar, sim."

Amigos distantes, eles poderão conviver mais nos próximos meses. Isso porque Réver joga no Atlético-MG e Dedé só está esperando a resolução do problema jurídico motivado por sua transferência para o Cruzeiro para começar a trabalhar no time mineiro. Ou seja, vão viver na mesma cidade. Mas Dedé só quer que Réver lhe mostre Belo Horizonte após a Copa das Confederações. O atleticano, por sua vez, só espera estar disponível para isso após o torneio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.