Revista diz que Casagrande está internado por causa de drogas

Ex-atacante e comentarista está de licença médica da TV desde o ano passado, sem previsão de retorno

Redação

27 de março de 2008 | 12h05

O ex-jogador e comentarista de TV Casagrande está internado em uma clínica para tratamento de dependentes de drogas, de acordo com a edição de abril da revista Placar, que estará nas bancas nesta sexta-feira. Sua internação aconteceu logo após o acidente de carro que sofreu em São Paulo, em setembro do ano passado. Ele tirou licença médica da TV Globo, com quem tem contrato até 2010, e não tem previsão de retorno. No local, Casagrande não teria contato direto com seus familiares e nem poderia deixar a clínica, que fica na Grande São Paulo, se quisesse - depende de autorização do médico responsável. A família do ex-jogador não comenta o assunto. As drogas que ele utilizaria, segundo a revista, seriam heroína e cocaína. Os problemas psiquiátricos que o levaram a procurar as drogas seriam, principalmente, a separação de sua mulher, Mônica, com quem teve três filhos. Procurada pelo estadao.com.br, a assessoria de Imprensa da Globo diz apenas que Casagrande está de licença médica e não comenta os problemas com o ex-jogador. Cogita-se que a previsão de alta é para novembro.Walter Casagrande Junior está com 44 anos e se tornou famoso graças à carreira no futebol e ao engajamento político, fazendo parte da campanha "Diretas Já", que pedia o fim da ditadura militar no Brasil. Começou a se destacar no futebol no Corinthians, no começo dos anos 80, quando foi um dos cabeças do movimento "Democracia Corintiana", célebre por deixar os jogadores decidirem os destinos do time, e jogou ainda na Caldense, São Paulo, Ascoli (ITA), Porto, Torino, Flamengo, Paulista e São Francisco. Pela seleção brasileira, Casagrande disputou a Copa do Mundo de 1986, no México. Depois de encerrar a carreira, no meio dos anos 90, ele assumiu o posto de comentarista da TV Globo, de onde só saiu do ar no fim do ano passado. Nos tempos de jogador do time alvinegro, chegou a ser preso por porte de maconha, mas foi liberado no dia seguinte. E se tornou amigo de celebridades como a cantora Rita Lee. Chegou, inclusive, a participar de dois filmes, Procuro uma cama (1982) e Onda Nova (1983).  

Tudo o que sabemos sobre:
Casagrandedrogas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.