Rezende põe a culpa no bandeirinha

Melhorar o nível dos árbitros auxiliares do futebol brasileiro passou a ser o principal objetivo do presidente da Comissão Nacional de Arbitragem, Edson Rezende, que nesta sexta-feira confirmou a criação de um curso específico para esses profissionais. O dirigente disse que a deficiência técnica ficou evidenciada nas últimas partidas do Campeonato Brasileiro, inclusive na de quinta, quando o Corinthians venceu o Paysandu, por 2 a 0, com um gol irregular validado e um gol legítimo do time paraense anulado pelo árbitro Lourival Dias Lima Filho (BA), auxiliado nos lances por Belmiro da Silva. ?O Lourival na realidade não teve culpa. Não vi os lances, só ouvi dizer que o erro foi de impedimento. E assinalar impedimento é função do auxiliar, a não ser quando é um lance escandaloso de três, quatro metros de distância a favor do atacante?, explicou o presidente da comissão, negando que o árbitro vá para a ?geladeira?. Ele disse, porém, que o auxiliar será ?preservado? por uma rodada. Rezende foi claro ao afirmar que os auxiliares estão induzindo o árbitro ao erro e, com isso, prejudicando a arbitragem brasileira. Lembrou dos incidentes do empate entre Vasco e Figueirense quando Carlo Eugênio Simon (Fifa-RS), auxiliado por Altemir Hausmann, invalidou um gol legítimo de Romário e validou um gol irregular do Figueirense. A dupla, inclusive, depois de uma ?geladeira? de uma rodada, foi sorteada para trabalhar neste domingo, no confronto entre Santos e Cruzeiro, no Palestra Itália. Para tentar resolver o problema, o presidente da Comissão de Arbitragem começou, nesta quinta, um trabalho com os 38 árbitros e auxiliares reunidos no Rio para a escolha de dois profissionais que substituirão, nos quadros da Fifa, Márcio Rezende de Freitas, que se aposentará no final do ano, e Edilson Pereira de Carvalho, expulso por causa do escândalo da ?Máfia do Apito?. ?Dei uma palestra de uma hora hoje (quinta) antes de virmos fazer os testes físicos. Pedi empenho e cuidado com os enganos dos assistentes?, disse Rezende, enquanto acompanhava o trabalho realizado na Comissão de Desportos da Aeronáutica, em Marechal Hermes, zona norte. ?O árbitro está certo ao confiar no assistente, só que é preciso atenção porque depois cai tudo na conta dele. Acho que é preciso mostrar que foi o assistente quem errou?. Dos 38 profissionais que participaram das avaliações no Rio, oito árbitros, dez assistentes, três árbitras e quatro assistentes femininas são integrantes do quadro da FIFA. O restante, dez árbitros, uma árbitra e dois assistentes são convidados pela CBF. Doz dez árbitros convidados, dois ficarão com as vagas de Freitas e Carvalho. Os escolhidos serão conhecidos na próxima semana. Disputam os postos: Cléber Wellington Abade (SP), Wilson Luiz Seneme (SP), Djalma Beltrami (RJ), Luis Antônio Silva Santos (RJ), Wallace Nascimento (ES), Paulo Henrique Godói Bezerra (SC), Evandro Rogério Roman (PR), Antonio Hora (SE), Giuliano Bozzano (DF) e Helvécio Zequetto (MS).

Agencia Estado,

28 de outubro de 2005 | 18h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.