Alexandre Vidal/Flamengo
Alexandre Vidal/Flamengo

Rhodolfo elogia rival Fluminense e descarta favoritismo do Flamengo

Equipes se enfrentam neste sábado, pela semifinal da Taça Guanabara

Redação, Estadão Conteúdo

07 de fevereiro de 2019 | 18h09

O Flamengo decide vaga na final da Taça Guanabara diante do Fluminense neste sábado, no Maracanã. Líder de seu grupo na primeira fase e dono de um elenco repleto de estrelas, o time rubro-negro encara um rival em reformulação. Para o zagueiro Rhodolfo, porém, não há qualquer favoritismo para o lado da Gávea.

"O Fluminense tem uma equipe muito boa. Eu vi alguns jogos, conheço bem o treinador, gosta de posse de bola, mas nosso time também gosta. Vai ser um grande jogo, não tem tanto favorito, não. Em campo, são 11 contra 11. Eles também têm equipe qualificada e camisa de peso", declarou nesta quinta-feira.

Dono da segunda melhor campanha da fase de grupos, atrás somente do Vasco, o Flamengo vai encarar um time que cresceu ao longo da competição e mostrou um ataque bastante eficiente. "É um time que gosta muito de jogar com a bola. Eles tocam muito, é difícil roubar. Posse de bola cansa o adversário. Mas nosso time tem a mesma característica", considerou Rhodolfo.

O zagueiro ainda explicou como espera frear o desempenho do colombiano Yony González, recém-contratado pelo Fluminense e um dos destaques do Fluminense na temporada. "No Brasil, a maioria dos ataques é rápido, mas a gente tem experiência. Já vi ele jogando. Além da velocidade, é forte e sabe fazer gols. Mas nosso time defende bem, pode marcar ele."

Com um elenco renomado, o Flamengo ainda estaria em busca de um zagueiro para a temporada. Depois de ver o sonho de ter Dedé cair por terra, assim como a tentativa por Martín Cáceres, a diretoria estaria avaliando novas opções. Rhodolfo tratou como natural a procura e minimizou a possibilidade de nova concorrência.

"Isso é normal. Time grande como o Flamengo tem que contratar mesmo. Mas temos zagueiros à altura. O Léo Duarte, para mim, foi um dos melhores jogadores do ano passado. O Rodrigo Caio é um excelente zagueiro, e eu fui campeão onde joguei. Tem ainda o Dantas, Thuler, Dener, o Rafael Santos, que está no profissional agora. Tem vários de qualidade da base. Mas se vier outro, vai ser bem recebido", afirmou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.