Ricardinho ainda deve. O São Paulo também

Há cerca de um ano, a diretoria do São Paulo fazia festa para a apresentação da contratação que abalou o futebol paulista em 2002. Depositando US$ 4 milhões na conta do Corinthians, o clube do Morumbi adquiria os direitos federativos de Ricardinho. Com o moral de haver participado da conquista do pentacampeonato mundial, ele seria o líder que faltava para o time então dirigido por Oswaldo de Oliveira deslanchar e conseguir os títulos sonhados pelos torcedores. Por isso receberia luvas de R$ 2 milhões e salários de R$ 160 mil. Um ano depois, tudo mudou. Leia mais no Jornal da Tarde

Agencia Estado,

25 de julho de 2003 | 10h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.