Ricardinho: "Comercial aqui é trabalho"

O meia Ricardinho não considera a partida de domingo do Brasil com a Bolívia como decisiva para sua permanência na seleção. Ele já está escalado para começar o jogo. ?Nosso comercial é nosso trabalho?, disse, para desconsiderar a hipótese de que o técnico Carlos Alberto Parreira vai eliminar nas próximas horas suas últimas dúvidas com relação aos convocados para a Copa do Mundo de 2006.?Vai ser mais um jogo oficial da seleção, pelas eliminatórias de um mundial. Aqui os objetivos são os mesmos.? Ele não acredita numa divisão do grupo com relação à importância dos dois últimos confrontos da seleção no torneio classificatório. Para alguns, como Roberto Carlos, Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho, a seleção já fez o dever de casa, assegurando com antecedência a vaga para a Copa da Alemanha.?Todo jogo da seleção significa cobrança, repercussão. Independentemente de vaga garantida, o Brasil tem que vencer Bolívia e, depois, Venezuela.? Ricardinho nunca atuou em La Paz, a 3.600 metros de altitude. Mas já teve experiências em Quito (2.900 metros acima do nível do mar).?Existe um desconforto, mas como a previsão é de chegarmos a La Paz poucas horas antes da partida, os efeitos da altitude podem ser minimizados.? A última vez em que atuou como titular foi em 17 de agosto, num amistoso contra a Croácia, no país europeu. Ricardinho se destacou e marcou o gol de empate numa bela cobrança de falta. O jogo terminou 1 a 1.

Agencia Estado,

07 de outubro de 2005 | 20h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.