Ricardinho está fora do clássico na Vila

Ricardinho não vai poder esquentar o clássico dos desesperados, neste domingo, às 16h, na Vila Belmiro, entre o Santos, que corre risco na Copa Libertadores da América (só empatou com o Once Caldas, em casa, no meio de semana), e Palmeiras, sem técnico, após ser eliminado da Copa do Brasil pelo Santo André. Vanderlei Luxemburgo queria escalar o meia-esquerda no lugar de Diego, um dos titulares que deveria ser preservado para o jogo de volta contra o Once Caldas, pela Copa Libertadores da América, quinta-feira à noite, em Manizales (Colômbia), mas teve que rever o seus planos. A decisão de adiar a estréia de Ricardinho foi da diretoria, temendo perda de pontos na Justiça Desportiva. "Não podemos correr um risco desnecessário. O BID (Boletim Informático Diário) da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), que informava se o jogador tinha ou não condições de jogo, foi abolido, mas não sabemos se também caiu o prazo de três dias úteis, a partir da data da inscrição, para que o atleta tenha condições legais para atuar", explicou o diretor de futebol, Francisco Lopes, após o treino de hoje cedo. Como hoje não era dia de Luxemburgo dar entrevista à imprensa, a assessoria de imprensa do clube apenas confirmou que o técnico cortou o nome do jogador da relação dos concentrados. A situação de Ricardinho foi regularizada na sexta-feira e se ainda estiver vigorando a redação do artigo 8º do BID, na norma de inscrição de jogadores, ele só poderá jogar contra o Atlético-MG, no próximo final de semana, pelo Campeonato Brasileiro. Sem contar com o lateral-direito Paulo César, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, e Ricardinho, Luxemburgo deve evitar mudanças radicais no time, mesmo diante da necessidade de poupar titulares importantes para o segundo jogo contra o Once Caldas, quinta-feira, em Manizales. A princípio, Marco Aurélio, na lateral-direita, será a única mudança na equipe, embora Luxemburgo tenha insinuado que, neste momento, o Campeonato Brasileiro está em segundo plano para o Santos. Porém, não é bem assim. Em 17º lugar na classificação e vindo de um mau resultado na Libertadores, dentro da Vila, o time vai ter que reagir amanhã à tarde, diante do Palmeiras. Luxemburgo, xingado de burro por parte da torcida, quarta-feira, quando tirou Diego do time no segundo tempo do jogo contra o Once Caldas, sabe que a sua situação não é tão confortável, mas poderá melhorar muito se conseguir se aproveitar do momento de instabilidade do Palmeiras e ganhar o clássico. Se tirasse Diego para estrear Ricardinho, o torcedor até entenderia, mas se for apenas para se precaver, pode ser vaiado antes de o jogo começar. Os próprios jogadores - inclusive Robinho e Diego - não gostariam de ficar fora do clássico. O argumento geral é de que o time não pode mais perder pontos em seu estádio para não se distanciar do pelotão dos primeiros colocados do Campeonato Brasileiro, o que provocaria o afastamento da torcida. "É lógico que a Libertadores é importante, mas a gente não está livre de um tropeço na Libertadores. E aí, como ficamos no Brasileiro?", afirmou Robinho. "Por mim, prefiro estar em campo." Como Luxemburgo insistiu na tese de que há muito tempo para uma recuperação no Campeonato Brasileiro e que na Libertadores é preciso todo o cuidado para que o próximo jogo não seja o último, é provável que ele estivesse apenas tentando confundir o adversário e que mande a campo a força máxima para não deixar fugir a grande oportunidade de vitória.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.