Ricardinho precisa ser como Deivid

Em dez dias de trabalho, Candinho já viu qual é o diamante que precisa ser lapidado no Palmeiras: Ricardinho. Para o técnico, o atacante é o jogador com maior potencial entre os jovens do elenco. Por isso, vem tendo uma atenção toda especial com ele. "Tenho conversado muito com o Ricardinho, um garoto que é simples, humilde, mas tem um talento incrível. Ele precisa de alguém por trás, que converse bastante. E eu estou procurando fazer isso", diz Candinho.Nas conversas, o técnico fala sobre sua vivência no futebol e dá dicas de comportamento e posicionamento em campo. Nesse quesito, Candinho cita um modelo: "Falo para o Ricardinho se espelhar no Deivid. Os dois têm como principal característica o arranque, mas o Deivid sabe se posicionar melhor".O técnico explica: "O Ricardinho, às vezes, dá as costas para o marcador e, quando recebe a bola, fica sem alternativa a não ser devolvê-la para trás. Já o Deivid está sempre pronto para dar o arranque. Os bandeirinhas adoram dar impedimento nas jogadas dele, mas repare bem: o Deivid nunca está impedido. Anularam oito gols dele no ano passado, mas em todos ele estava em posição legal. O Deivid sabe bem a hora certa de dar o arranque".Ricardinho tem ouvido os conselhos com atenção. "Acho legal receber esse carinho todo do treinador. Isso mostra que ele confia bastante em mim. Tenho muito a melhorar e o Candinho está me ajudando demais", diz o atacante Ele só não quer saber de comparações. "O Deivid é o Deivid, eu sou eu. Respeito muito o trabalho dele, mas tenho as minhas características e não vou abrir mão delas".Paraibano de João Pessoa, onde chegou a trabalhar como açougueiro, Ricardinho faz o estilo pacato. Sai pouco do apartamento onde mora, em Perdizes, zona oeste de São Paulo. Gosta de ficar vendo filmes em DVD. "Não sou muito de sair", diz ele, artilheiro do time no Campeonato Paulista, com quatro gols. Por falar em Paulistão, Candinho não poderá contar com Magrão e Diego Souza, domingo, contra o Santos, no Palestra Itália. Ambos estão suspensos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.