Ricardinho: Rogério parou o São Paulo

Rogério Ceni foi considerado pela maioria dos jogadores dos Santos o principal responsável pela derrota do vice-líder, hoje à tarde, no Morumbi. "Rogério fez três ou quatro defesas importantes dentro de um clássico e foi o diferencial", disse Ricardinho, na entrevista coletiva à imprensa, após o jogo. "Tivemos várias chances para empatar; nosso ataque criou e finalizou bem, mas o goleiro treina para defender.Infelizmente foi uma boa oportunidade perdida para reassumirmos a liderança do Campeonato Brasileiro." Ricardinho não concorda que o Santos das celebridades (como definiu Leão, no meio da semana) tenha sido menos aplicado do que o time alternativo que classificou o clube para a fase internacional da Copa Sul-Americana. "Não foi isso. O São Paulo marcou bem o nosso time, atacou uma única vez no primeiro tempo e fez o gol. No segundo tempo, trabalhou em cima da vantagem e até teve chance para fazer outros gols", reconheceu o meia, que, ao contrário do goleiro Mauro, disse que não trocaria a vitória do São Paulo no clássico de hoje pelas duas vitórias e o empate nos três jogos anteriores entre os dois clubes nesta temporada. "Isso é uma coisa que não cabe nesse momento. A derrota é difícil de ser assimilada, mas o campeonato não acabou e temos oito rodadas para voltarmos à liderança." Deivid também negou que o time de hoje não teve o espírito de luta demonstrado pelos reservas nos dois jogos da semana passada. "Não demos moleza e jogamos para vencer, só que não era o nosso dia. Agora temos que esquecer o São Paulo e tudo o que foi dito sobre o jogo de hoje", disse o atacante santista, que não considerou provocação a comemoração dos jogadores do São Paulo quando o jogo acabou. "Acho que foi normal porque a pressão do lado de lá era muito grande e com a vitória eles tiraram um peso das costas". O goleiro Mauro admitiu que esperava que no lance do gol, Grafite ajeitasse a bola com a cabeça para quem vinha de trás, mas não concorda que tenha falhado. "O que houve foi uma falha coletiva de marcação da nossa defesa e uma bela cabeçada de Grafite". Embora afirme que o resultado não deve abalar os jogadores, Mauro foi um dos poucos jogadores que saiu de campo dizendo que preferiria ter perdido no meio de semana e vencido hoje. Depois do clássico, o Santos voltou a se concentrar num hotel dos jardins, na Capital. Luxemburgo marcou um treino para amanhã às 16h, no Parque do Ibirapuera. À noite, o time viaja para o Rio de Janeiro para enfrentar o Flamengo-RJ, quarta-feira, às 21h50, no Maracanã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.