Ricardo agradece a Deus por ter pego três pênaltis

Após defender três pênaltis neste sábado na disputa contra a Inglaterra e garantir a classificação de Portugal para as semifinais da Copa do Mundo (o time volta a esta fase após 40 anos), o goleiro Ricardo garantiu um lugar na história do futebol de seu país. E, mais que isso, passa a ter um status de semi-Deus para os torcedores. O próprio Ricardo, por sinal, disse que teve inspiração divina. "Disputa de pênaltis é sempre complicada, mas hoje, graças a Deus consegui pegar três cobranças e fico feliz por isto", disse. Ele é o primeiro goleiro na história das Copas a defender três cobranças (impediu os gols de Frank Lampard, Steven Gerrard e Jamie Carragher, com Hargreaves sendo o único a marcar). Com 30 anos, Ricardo começou sua carreira no modesto Montijo, em Portugal, em 1993. Depois, foi para o Boavista, no ano seguinte, onde ficou até 2003, quando chegou ao Sporting, de Lisboa, time que defende desde então. Tem 1,85 m e pesa 80 kg. Curiosamente, é o único titular do time que atua em Portugal. Ele só se tornou titular do time com 28 anos, substituindo o então intocável Vítor Baia, numa aposta do técnico Luiz Felipe Scolari, na Euocopa de 2004, quando foi vice-campeão em seu país, Ricardo já havia se consagrado ao defender um pênalti nas quartas-de-final batido por Darius Vassel, contra a mesma Inglaterra, e marcar ele mesmo o pênalti que garantiu a vitória por 6 a 5 (após empate por 2 a 2) e a vaga nas semifinais. Agora, Ricardo segue o maior desafio da carreira: conseguir ganhar um título internacional. Teve chance com seu clube na final da Copa Uefa, mas foi batido pelo Dínamo de Moscou. E pela seleção, foi vice da Eurocopa.

Agencia Estado,

01 Julho 2006 | 16h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.