Ricardo Gomes assume a culpa pela derrota

Ricardo Gomes deixou o gramado do Estádio Sausalito com futuro incerto. O treinador que não conseguiu classificar futebol do Brasil para a Olimpíada assumiu a responsabilidade pelo fracasso no Chile e a partir desta segunda-feira fica sem função. "A culpa não é dos jogadores, mas minha", disse o técnico, contratado pela CBF, no ano passado, com a missão de preparar time suficientemente equilibrado para levar o País à inédita medalha de ouro. A não ser que Ricardo Teixeira resolva atribuir-lhe novas tarefas, pode sondar mercado de trabalho em clubes.Não vale como desculpa a ausência de Kaká - que neste domingo fez dois gols para o Milan - ou do zagueiro Luisão, que o Benfica não quis ceder. O grupo que foi ao Pré-Olímpico contou com jogadores jovens, mas com experiência em decisões. Os santistas Elano, Diego, Robinho, Paulo Almeida e Alex conquistaram o título brasileiro de 2002 e foram vice-campeões da Libertadores de 2003. O goleiro Gomes, os laterais Maicon e Wendell, zagueiro Edu Dracena ajudaram o Cruzeiro nas campanhas vitoriosas da Copa do Brasil e do Brasileiro de 2003. Rochemback já passou pelo Barcelona e atualmente defende o Sporting, de Lisboa.O Brasil caiu porque não teve padrão - oscilou desde a primeira fase e falhou no momento decisivo. Ricardo Gomes não foi claro na estratégia - neste domingo, por exemplo, tirou o atacante Marcel e colocou o zagueiro Adaílton quando o Paraguai vencia. Com isso, deslocou Elano para o meio e deixou a defesa com três defensores. Tentou compensar ao substituir Paulo Almeida por Dagoberto. Mas voltou a falhar, quando decidiu abrir mão de Diego por Nilmar. Chuveirinhos e cobranças de falta foram a opção para tentar o empate. Alternativa fraca, retrato de uma seleção sem brilho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.