Vitor Silva / SSPress
Vitor Silva / SSPress

Ricardo Gomes cobra evolução e lamenta não ter vantagem na semi

A equipe do Botafogo venceu o Boavista e ficou em terceiro lugar no Campeonato Carioca

Estadão Conteúdo

18 de abril de 2016 | 10h02

Ao vencer o Boavista por apenas 1 a 0 no último domingo, em Saquarema, pela rodada final da Taça Guanabara, o Botafogo não conseguiu a vantagem que gostaria de ter nas semifinais do Campeonato Carioca. O resultado fez a equipe terminar a segunda fase da competição no terceiro lugar, com os mesmos 14 pontos do Fluminense, que assegurou a vice-liderança pelo melhor saldo de gols.

Caso goleassem por ao menos quatro gols, os botafoguenses conquistariam o segundo lugar e teriam a vantagem de atuar pelo empate nas semifinais diante do Flu, no próximo final de semana, mas quem poderá avançar com um resultado igual será justamente a equipe tricolor.

Ao analisar o desempenho do Botafogo na vitória magra diante do Boavista, o técnico Ricardo Gomes lamentou o fato de o time ser obrigado a vencer na semifinal para seguir vivo na luta pelo título, assim como cobrou evolução ofensiva da equipe na continuidade da competição estadual.

E o comandante lembrou que o fato de o Botafogo ter cedido o empate por 1 a 1 ao Fluminense no finalzinho do clássico válido pela primeira rodada da Taça Guanabara, no último dia 13 de março, acabou fazendo diferença para a equipe neste domingo.

"Nós com certeza temos que melhorar a parte ofensiva para conseguir a classificação. Perdemos essa diferença no último minuto daquele jogo (com o Flu), essa foi a diferença de pontuação. Vamos ver essa forma de disputa. Uma coisa é o Flu no primeiro, no segundo, com outro treinador, e agora é uma decisão. Estou bastante confiante na nossa equipe, mas queria a vantagem (na semifinal)", afirmou o treinador.

Ricardo Gomes ainda reconheceu que o Botafogo não conseguiu fazer o placar que queria "nem de longe" e admitiu que Boavista foi "até um pouco melhor" no primeiro tempo do duelo deste domingo. "Mas depois, no segundo tempo, fomos bem melhores, dominamos o jogo. O gramado não é dos melhores. Eu não estava vendo o Jefferson pela iluminação no fim do jogo. Coisas que em 2016 a gente ainda está passando. É uma pena", reclamou o comandante ao falar da estrutura precária do estádio de Bacaxá, em Saquarema (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.