Filipe Araújo/AE
Filipe Araújo/AE

Ricardo Gomes cobra mais precisão nos chutes a gol

Dos últimos 13 gols marcados pelo São Paulo no Brasileirão, apenas cinco foram feitos por atacantes

Gabriel Navajas - Jornal da Tarde,

09 de outubro de 2009 | 21h38

SÃO PAULO - A cena já se tornou rotineira no final dos treinos do São Paulo. Ricardo Gomes reúne seus jogadores, principalmente meias e atacantes, e treina exaustivamente chutes a gol. A preocupação do treinador é com as finalizações. E é isso que ele espera corrigir já para o jogo deste sábado contra o Flamengo, no Maracanã.

Veja também:

linkJunior Cesar diz que precisa se recuperar do erro

linkRicardo Gomes poupa quatro de treino

especialMASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especialVisite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela | tabela Classificação

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"Nós estamos nos colocando muito bem em campo, criando situações, mas o último passe não está legal, essa última escolha tem de ser melhor para que a gente consiga traduzir em número de gols esse domínio", explicou o chefe. Os números comprovam que o técnico tem razão. Dos últimos 13 gols marcados pelo São Paulo, apenas cinco foram feitos por atacantes - três de Washington, um de Dagoberto e um de Borges.

"Contra o Coritiba, a postura do time foi de ir para cima, mesmo com tantos desfalques. Criamos situações, chegamos à área, mas agora temos de melhorar na parte decisiva. A conversa será muito mais focada nesse aspecto. Não estamos tirando proveito de chegar na área", observou. "Temos de saber escolher a melhor jogada para aumentar o nosso número de gols".

Por isso, o trabalho de finalização tem de ser intensificado no CT. Ricardo Gomes lamenta o fato de a equipe circular tanto pela área adversária sem ter condições de arrematar certo a gol.

Neste sábado, Ricardo Gomes fará uma mudança no ataque: Washington no lugar de Borges, que não marca há cinco partidas. O treinador, apesar de despistar, repete o que fez com o próprio Washington quando o centroavante viveu um jejum parecido com o companheiro. "Vamos ver. Vou esperar até amanhã (sábado), mas tem lógica", comentou o treinador.

Ricardo Gomes pede mais atenção ao jogadores de frente (nos casos de Borges e Washington), que costumam entrar durante os jogos e marcar gols, mas quando começam jogando não têm o mesmo rendimento. "Estou satisfeito com eles, mas não com o número de gols. Eles entram bem, mas precisam manter o rendimento durante o jogo todo, não só quando participam dos minutos finais", cobrou.

Washington é o artilheiro tricolor no Brasileirão, com nove gols Dagoberto e Borges têm seis cada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.