Ernesto Rodrigues/AE
Ernesto Rodrigues/AE

Ricardo Gomes credita derrota a segundo tempo ruim

'Isso não é só o São Paulo, acontece com a maior parte dos clubes que se preparam para a temporada'

Gabriel Navajas, Agencia Estado

17 de janeiro de 2010 | 21h37

O técnico Ricardo Gomes não vê motivos para preocupação após a derrota para a Portuguesa. O tropeço na estreia no Campeonato Paulista não era esperado, mas as dificuldades encontradas pelo São Paulo eram previstas.

Veja também:

linkSão Paulo perde na estreia para a Portuguesa por 3 a 1

linkSão-paulinos não culpam novo esquema por derrota

especial QUIZ - Você sabe tudo sobre o Paulistão?

lista RESULTADOS / tabelaCLASSIFICAÇÃO

som Rádio Eldorado/ESPN - São Paulo 1 x 0 / 1 x 1 Portuguesa / 1 x 2 Portuguesa / 1 x 3 Portuguesa

"Isso não é só o São Paulo, acontece com a maior parte dos clubes que se preparam para a temporada. Todos que trabalham tem a visão a curto, médio e longo prazos. Trabalhamos dez dias pesado, com carga horária máxima. A oscilação era prevista. A derrota, não. Esperamos melhorar o resultado na próxima", disse o treinador, que não gostou do desempenho do time no segundo tempo.

"O São Paulo voltou para o segundo tempo com qualidade no toque de bola. O sistema não foi tão bom como no jogo anterior (4 a 0 sobre o Sport, na última rodada do Campeonato Brasileiro). A derrota aconteceu pelo péssimo segundo tempo que tivemos."

O técnico analisou as estreias de Léo Lima e Marcelinho Paraíba, autor do gol. "No primeiro tempo os dois foram bem. No segundo, o time não conseguiu jogar e o Marcelinho sofreu bastante, sem conseguir render. O Léo poderia buscar mais o jogo. Mas com um jogador a menos, ficamos muito longe, com os jogadores mais distantes."

Quem tirou a paciência do treinador foi Dagoberto, expulso. "Ele tem uma personalidade que não é fácil. Ao mesmo tempo é uma boa pessoa. Tem bastante experiência, mas não consegue se controlar. É importante ter comportamento, mesmo no inicio da temporada. Tomaremos alguma atitude internamente. Já que ele não resolveu com a experiência, vamos resolver isso para ele. Não foi provocado, não apanhou, tem de ter maturidade para ter equilíbrio."

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.