Sérgio Castro/AE
Sérgio Castro/AE

Ricardo Gomes diz não tolerar reclamações de jogadores

'Reclamar comigo vai ser perda de tempo', avisa o técnico, que começou seu trabalho no São Paulo

AE, Agência Estado

24 de junho de 2009 | 13h16

Em seu primeiro dia de trabalho no São Paulo, o técnico Ricardo Gomes fez questão de avisar que não vai tolerar reclamações de jogadores. Os últimos dias no clube foram marcados por declarações de atletas que pediam mais oportunidades ou criticavam veladamente os companheiros.

Veja também:

linkRicardo Gomes deve armar São Paulo no esquema 4-4-2

linkJogadores do São Paulo elogiam novo treinador do clube

forum Vote: Ricardo Gomes terá sucesso no comando do São Paulo?

especialMASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especialVisite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela / tabela Classificação

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"O jogador tem que jogar, e jogar bem. Não tem nada que reclamar. O atleta tem que trabalhar pelo clube, fazer o melhor. Reclamar comigo vai ser perda de tempo", disse o treinador em entrevista à TV Bandeirantes.

Para Ricardo Gomes, a equipe não tem nenhum titular absoluto, e os jogadores não podem se achar melhores que os companheiros. "Eu não tenho medo de cara feia. Ninguém aqui tem lugar definitivo, e o São Paulo é maior do que tudo isso. Eles têm de ficar satisfeitos por jogar em uma equipe como o São Paulo."

O treinador confirmou sua postura linha dura e reafirmou a frase "Não sou babá de jogador", que ficou famosa em 2004, nos tempos em que comandava o Fluminense. "Jogador profissional é homem, tem que cumprir contrato e jogar bem. Jogador tem que ter sua responsabilidade, não precisa de babá. Se quiser ter babá, tem que ir para o jardim de infância", falou em entrevista à TV Globo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.