Ricardo Gomes fecha treino, mas descarta mudanças profundas no Botafogo

O técnico Ricardo Gomes fechou o treino do Botafogo nesta quinta-feira, realizado na Escola Naval, mas não haverá grande mistério na definição do time para o duelo com o Madureira, domingo, pela segunda rodada da Taça Guanabara. Ele adiantou que não pretende realizar muitas mudanças no time, mas defendeu que a privacidade era necessária para a realização de trabalhos específicos.

Estadão Conteúdo

17 de março de 2016 | 15h46

"Fizemos um trabalho que seu entregasse com imagens seria complicado. Pode colocar na minha conta. A tendência é a repetição, fechei mais pelos exercícios do que pela formação", disse o treinador do Botafogo, satisfeito com o desempenho do time, mas, ainda assim, cobrando evolução para a sequência da temporada.

"Espero a evolução do Botafogo sabendo que será um jogo contra um time que conta com bons jogadores. Os últimos dois jogos foram bons e precisamos subir um degrau nessa evolução. Sinceramente eu acho que temos que ganhar pela grandeza do Botafogo, mas cada jogo tem a sua história. O Madureira é um dos melhores, segundo vocês (jornalistas) citaram, e temos que ter muita organização, entusiasmo e técnica para prevalecer", disse.

Ricardo Gomes também destacou que o Botafogo já encontrou uma identidade neste início de um ano, com a utilização de um esquema tático com três volantes. "Eu acho que tem que haver um equilíbrio para escolher se jogo com três volantes ou dois meias. Encontrei mais equilíbrio com três volantes porque os três - O Airton um pouco menos - jogam como meias, entram bem na área. Quando se tem esse tipo de volante não muda muito. Esse é o equilíbrio e os três chegam bem na frente. Quando os meias conseguem fazer a ida e a volta com a mesma capacidade de marcação e ataque é melhor ainda. Mas ainda não chegamos nisso e tomara que isso aconteça", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
Ricardo GomesFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.