JF Diorio/AE - 19/5/2010
JF Diorio/AE - 19/5/2010

Ricardo Gomes já respira sem ajuda de aparelhos

Internado há 11 dias, recuperação do treinador do Vasco é boa

AE, Agência Estado

09 de setembro de 2011 | 14h37

RIO - Internado há 11 dias no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Pasteur, no Rio, o técnico Ricardo Gomes vem tendo uma recuperação acima da média, de acordo com a equipe médica responsável pelo acompanhamento clínico do treinador. Na quinta-feira, foi retirado o tubo traqueal, de ventilação mecânica, e Ricardo Gomes já completou 24 horas de respiração sem a ajuda de aparelhos, num processo conhecido como extubação.

"Ele está respirando muito bem sem o tubo e até o momento não cogitamos retornar com a prótese respiratória", diz o médico Fábio Guimarães Miranda. "Isso significa que a recuperação dele está acima da média. Já podemos considerar também que ele já passou do período de maior gravidade."

Ricardo Gomes vem tendo melhora diária no seu nível de consciência. Ele já reconhece familiares e esboça palavras isoladas. De acordo com o boletim médico divulgado pelo hospital nesta sexta-feira, o treinador realiza fisioterapia motora e respiratória e já iniciou as sessões de fonoaudiologia. "Ricardo Gomes já senta na poltrona com a ajuda da equipe e colabora com os movimentos durante as sessões de fisioterapia", disse o médico Ricardo Periard, outro que compõe a equipe que acompanha o técnico vascaíno.

Os médicos, porém, estão cautelosos quanto a previsões. "Ainda é cedo para avaliar o nível de melhora que ele terá na fala e no movimento, mas já está interagindo bem com a família e com a equipe médica. O nível de consciência ainda oscila, no entanto ele apresenta momentos de lucidez mais duradouros", detalhou o médico José Antônio Guasti.

De acordo com o boletim médico, Ricardo Gomes permanece com estabilidade clínica e neurológica, sem gravidade, e tem previsão de permanecer mais alguns dias no CTI.

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
futebolRicardo GomesVasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.