Ricardo Gomes rejeita 'oba-oba' no Botafogo e confirma Ronaldo no ataque

O Botafogo só precisa vencer o Criciúma no próximo sábado, fora de casa, para garantir o acesso à elite do futebol brasileiro, mas o técnico Ricardo Gomes não quer saber de euforia entre os seus jogadores. Mesmo com o objetivo muito próximo, o treinador pede concentração para evitar qualquer surpresa e garantir o mais rápido possível a volta à primeira divisão.

Estadão Conteúdo

05 Novembro 2015 | 16h21

"O assunto é o Criciúma e a preparação para o jogo. Isso de estar perto ou não do acesso não é com a gente. O que vale é o jogo dentro e fora de campo. Nós estamos na segunda e temos que sair dessa situação o mais rápido possível. Temos a obrigação de sair. Oba-oba pode ser para o Corinthians, que está com uma vantagem considerável, mas para o Botafogo não", disse.

Ricardo Gomes também confirmou que escolheu Ronaldo para ser o companheiro de ataque de Neilton no Botafogo no duelo com o Criciúma. Para o jogo, o treinador não pode contar com os lesionados Navarro e Sassá.

"O Ronaldo sai na frente porque o Luis Henrique está voltando agora após de um mês na seleção. Retornou bem desgastado e o Ronaldo vai jogar. Tivemos ainda a lesão do Sassá, que foi a péssima notícia da semana", afirmou.

O treinador destacou que a pressão no Botafogo e garantiu que não haverá tempo para comemorar o acesso, pois a meta seguinte será conquistar o título da Série B. No momento, o seu time lidera a competição com cinco pontos de vantagem para o segundo colocado América Mineiro, que disputou um jogo a mais. "Não quero nem pensar nisso de comemorar. Dez minutos depois do acesso já teremos a pressão pelo título. É normal porque é o Botafogo, time grande", comentou.

Mais conteúdo sobre:
futebol Botafogo Ricardo Gomes Ronaldo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.