Ricardo Gomes só define time nesta terça.

O técnico Ricardo Gomes só confirmará o time nesta terça-feira, mas é quase certo que o Brasil entrará em campo nesta quarta, para enfrentar a Venezuela em sua estréia no Pré-Olímpico, com três atacantes. No treino tático realizado nesta segunda-feira à tarde, o treinador manteve Daniel Carvalho entre os titulares e saiu satisfeito com a melhora em relação ao coletivo de domingo. "É muito provável que este seja o time para a estréia", afirmou. Ricardo tinha ficado preocupado com os espaços que o time titular tinha dado para o reserva no coletivo e por isso testou Wendell no lugar de Daniel Carvalho para "arrumar" mais o meio-de-campo. Mas nesta segunda o jogador do Internacional entendeu o recado do treinador e se matou para cumprir a função que lhe cabe quando a equipe não tem a posse de bola. "O Daniel foi bem melhor nesta segunda, estava mais ligado na marcação. O que não pode acontecer é o time começar concentrado e depois de 20 minutos se desarrumar." Caso sinta o meio-de-campo sobrecarregado na partida desta quarta, o treinador não hesitará em recorrer a Wendell. "Com ele no time, o desenho fica mais parecido com o que os jogadores estão acostumados em suas equipes. A entrada do Wendell é minha primeira opção para organizar o meio-de-campo contra a Venezuela." Mas só contra a Venezuela. A partir do segundo jogo - sexta-feira, contra o Paraguai -, a primeira opção será Fábio Rochemback, que jogou domingo pelo Sporting contra o Benfica em Lisboa e a partir desta segunda estará à disposição do treinador. "Na minha cabeça, o Fábio seria titular no início do Pré-Olímpico. Mas como tivemos que liberá-lo para esse jogo de domingo e ele não seria aproveitado na estréia, testei o esquema com três atacantes e gostei. Se a equipe render com esse esquema, ele vai ter que esperar. Mas se decidir voltar ao sistema antigo, ele é minha primeira opção a partir do jogo de sexta." Diego saiu quando faltavam 15 minutos para terminar o treino, seguindo a orientação dos preparadores físicos para que não seja tão exigido quanto os outros jogadores por causa de dores musculares que vem sentindo desde os trabalhos na Granja Comary. Em seu lugar entrou o atleticano Paulinho. No mesmo instante, Ricardo Gomes aproveitou para testar outra fórmula, trocando Daniel Carvalho pelo centroavante Marcel. "É preciso trabalhar essa opção com um homem de área como o Marcel", explicou o treinador. Marcel tem 1,87 m e marcou 20 gols no Campeonato Brasileiro. No treino, pouco depois de passar para o time de cima ele fez um gol no melhor estilo "trombador", depois de ganhar uma dividida com o goleiro Juninho e o zagueiro Adaílton. Como o Comitê Organizador proibiu as cinco equipes da chave de Concepción de fazer treinos de reconhecimento usando chuteiras no gramado do Estádio Municipal, para preservar o campo, a comissão técnica decidiu que o treino desta tarde será novamento no estádio do Huachipato, em Talcahuano. "Vamos fazer um trabalho tático idêntico ao desta segunda, para tentar automatizar algumas situações. Acredito que na segunda ou terceira partida o time estará no estágio que mostrou na Copa Ouro e nos amistosos de novembro contra Corinthians e Santos." Depois do treino, a delegação irá para o Estádio Municipal para que os jogadores possam caminhar um pouco pelo gramado e assim conhecer o local das quatro partidas da primeira fase.

Agencia Estado,

05 de janeiro de 2004 | 20h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.