Andre Lessa/AE
Andre Lessa/AE

Ricardo Gomes tem ligeira melhora e médicos tiram sedativos

Esperança agora é que técnico do Vasco possa respirar sem a ajuda de aparelhos

AE, Agência Estado

07 de setembro de 2011 | 12h38

RIO - O técnico Ricardo Gomes tem se recuperado gradativamente do Acidente Vascular Encefálico (AVE ou AVC) sofrido dia 28 de agosto, quando comandava o Vasco contra o Flamengo. Nesta quarta-feira pela manhã, os médicos do Hospital Pasteur, onde o treinador está internado, no Rio, divulgou boletim médico informando que Ricardo Gomes apresentou "um grande progresso no nível de consciência".

"O paciente continua com estabilidade clínica. Neurologicamente, Ricardo Gomes apresentou nas últimas 24 horas um grande progresso no nível de consciência - permanecendo um maior número de períodos acordado e sem fazer uso de sedativos. Com isso, a equipe médica está bastante esperançosa que nos próximos dias já seja possível retirar totalmente seu suporte ventilatório", informou o boletim.

Devido à ótima evolução em seu quadro clínico, as visitas a Ricardo Gomes não estão mais restritas aos familiares. Assim, os médicos também deverão ter mais atenção, já que na última vez em que foi permitida a visita de amigos, semana passada, o treinador apresentou agitação e precisou ser sedado novamente.

A esperança agora é a de que os tubos que auxiliam a respiração possam ser retirados nos próximos dias. O treinador realiza sessões de fisioterapia diariamente, mas ainda não há previsão de saída do Centro de Tratamento Intensivo (CTI).

HISTÓRICO

Ricardo Gomes sentiu-se mal durante o clássico entre Vasco e Flamengo, disputado dia 28 de agosto, no Engenhão, e foi encaminhado ao hospital, onde foi constatado o AVC. Na mesma noite, o treinador passou por uma cirurgia para drenagem do sangue no cérebro. Exames realizados na última terça-feira apontaram a ausência de hematomas na região.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolVascoRicardo GomesAVC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.