Tasso Marcelo/ESTADÃO
Tasso Marcelo/ESTADÃO

Ricardo Gomes volta e assume diretoria técnica do Vasco

Ex-técnico vai trabalhar ao lado de Gaúcho, que continua no comando da equipe cruzmaltina

TIAGO ROGERO, Agência Estado

14 de novembro de 2012 | 13h05

RIO - Mais de um ano depois do acidente vascular cerebral (AVC) que o afastou do futebol, em 28 de agosto de 2011, Ricardo Gomes foi apresentado nesta quarta-feira como novo diretor técnico do Vasco. O auxiliar Gaúcho, que antes comandaria interinamente a equipe somente nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro, foi efetivado como treinador. Ricardo Gomes, que ainda faz sessões de fisioterapia e fonoaudiologia, afirmou que, no momento, não tem condições de voltar à beira do gramado. Mas não descartou essa possibilidade no futuro.

"Ainda tenho algumas dificuldades para andar, como vocês viram, e a voz não está 100%, mas dá para trabalhar pelo bem do Vasco", afirmou Gomes, na sala Chico Anysio, em São Januário. "O Gaúcho tem a responsabilidade de campo, do jogo. O Ricardo está como diretor técnico, junto do Gaúcho", disse o presidente do clube, Roberto Dinamite. E Ricardo Gomes completou: "A responsabilidade pelo resultado podem botar na minha conta. Se não der certo, a responsabilidade é minha". Para planejar o time do próximo ano, ele terá ao seu lado o diretor executivo Daniel Freitas.

O ex-comandante vascaíno contou que já estava liberado pelos médicos para voltar a trabalhar desde junho, mas achou melhor esperar. "Na beira do campo, não dá mesmo. Não poderia dar treino, isso seria ridículo, o Vasco tem de estar na frente. Quando eu estiver recuperado totalmente, aí vamos ver", disse o ex-zagueiro.

Ricardo Gomes revelou que não tem contrato assinado com o clube. "Quando saí do Vasco, no dia 28 de agosto (de 2011), o clube cumpriu seu contrato comigo até o fim, em dezembro, e eu não estava trabalhando. Agora, não tem contrato. Quando o Vasco não me quiser mais, vou embora", completou.

O novo diretor técnico minimizou o atraso de salários, estabeleceu como prioridade para a diretoria a renovação de contrato do meia Juninho Pernambucano, e afirmou que a torcida vascaína voltará a ter alegrias com o time em 2013. Ele ainda disse que o Vasco precisa ser tratado como prioridade neste momento de crise que vive e reconheceu que não irá apresentar "fórmulas mágicas" para reerguer o time, mas destacou que o clube tem grandeza suficiente para isso.

"A história do Vasco fala por si só... Está com dificuldades financeiras, esportivas, mas a história do Vasco é muito maior do que tudo o que falamos aqui. Estou contribuindo um pouquinho para a parte esportiva da história do Vasco", completou.

Embora tenha sido descartado da função de treinador, Ricardo Gomes garante que está apto a passar por momentos de tensão na função de diretor técnico, mesmo que as mesmas sejam tão estressantes quanto as vividas como treinador. "Eu tive um mini AVC no São Paulo, e depois tive um outro. Isso está sanado. O meu risco é o mesmo de um hipertenso, mas antes eu não tomava remédio. Agora eu tomo", explicou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolVascoRicardo Gomes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.