Washington Alves/Vipcomm
Washington Alves/Vipcomm

Ricardo Goulart comemora reforços no Cruzeiro

Equipe já acertou a vida do meia Marlone e do atacante Marcelo Moreno

Agência Estado

10 de janeiro de 2014 | 15h57

BELO HORIZONTE - Campeão brasileiro, o Cruzeiro promete ser ainda mais forte em 2014. O clube liberou alguns jogadores que vinham sendo reservas e, para repor as peças perdidas, contratou reforços de peso, como o meia Marlone, uma das revelações da última temporada com a camisa do Vasco, e o atacante Marcelo Moreno, que foi oficializado pelo clube nesta sexta.

Para o meia-atacante Marcelo Goulart, os reforços qualificam o elenco. "Muitos jogadores permaneceram. O grupo já está bem estruturado e estão chegando novas peças, o que é importante. Creio que todos que estão chegando têm os mesmo espírito vencedor dos que ficaram", disse o meia-atacante.

Além da dupla de jogadores de frente, já chegaram à Toca da Raposa o lateral-esquerdo Samudio, o volante Rodrigo Souza e o zagueiro Vilson. Ricardo Goulart não se preocupa com a concorrência por um lugar no time.

"Chegaram jogadores competentes que vieram para somar. Estou trabalhando forte para que eu possa mostrar ainda mais do meu futebol aqui no Cruzeiro e conquistar mais títulos. Não tenho medo (da concorrência). Eu sei que a disputa vai ser grande, mas eu não vou dar brecha não", completou o jogador.

MORENO

Nesta sexta-feira, o Cruzeiro finalmente oficializou, no seu site oficial, a chegada de Marcelo Moreno. O atacante de 26 anos, que defende a seleção da Bolívia, estava no Flamengo e chega a Belo Horizonte por empréstimo.

Pelo Cruzeiro, onde jogou de maio de 2007 a maio de 2008, quando foi vendido ao Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, Moreno fez 36 jogos e marcou 21 gols. O boliviano conquistou o título do Campeonato Mineiro de 2008 e foi o artilheiro da Taça Libertadores, com oito gols.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCruzeiroCampeonato Mineiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.