Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Ricardo Goulart garante que irá evoluir no Palmeiras: 'Estou em 85%'

Jogador promete ainda ter condições de evoluir e ressalta parceria com o técnico Felipão

Redação, O Estado de S. Paulo

13 de março de 2019 | 11h29

O atacante Ricardo Goulart, do Palmeiras, disse nesta terça-feira que ainda não atingiu o ápice da forma física. Mesmo depois de se destacar e ser decisivo na vitória por 3 a 0 sobre o Melgar, pela Copa Libertadores, o jogador explicou que ainda pode fazer mais para o clube, por não estar ainda no auge das condições depois de ter se submetido no fim do ano passado a uma cirurgia no joelho direito.

Goulart participou dos três gols do jogo, ao marcar um e dar o passes para outros dois, marcados por Felipe Melo e Deyverson. "Estou em uma porcentagem de 85%, falta um pouco de ritmo de jogo. Agora é treinar forte durante a semana. Sei que tem jogo atrás de jogo. Vou trabalhar especificamente com os profissionais que vêm me ajudando e dar sequência. Estou sendo abençoado com esses gols. Eu sempre me dediquei", disse.

Emprestado até o fim do ano pelo Guanghzou Evergrande, da China, Goulart marcou três gols desde a chegada ao clube e tem se mostrado decisivo. No Palmeiras ele retomou a parceria com o técnico Luiz Felipe Scolari, com quem trabalhou durante três anos no futebol asiático. A dupla participou diretamente da conquista de sete títulos, o principal deles a Liga dos Campeões da Ásia, em 2015.

"Como vocês sabem, trabalhei dois anos e meio com ele, fomos muito felizes. É uma honra trabalhar com ele.  Todos tem a confiança dele. É um grupo qualificado, todos respeitam a pessoa que ele é", ressaltou Goulart. O atacante começou a trabalhar no Palmeiras antes mesmo de assinar contrato, ao ter usado a estrutura do clube para se recuperar da cirurgia.

O Palmeiras tem como próximo compromisso o clássico com o São Paulo, pelo Campeonato Paulista. O jogo será no Pacaembu pois o Morumbi está sem condições de receber partidas depois de ter sido atingido por inundamentos nos vestiários causados pelas fortes chuvas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.