Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Ricardo Goulart garante que irá evoluir no Palmeiras: 'Estou em 85%'

Jogador promete ainda ter condições de evoluir e ressalta parceria com o técnico Felipão

Redação, O Estado de S. Paulo

13 de março de 2019 | 11h29

O atacante Ricardo Goulart, do Palmeiras, disse nesta terça-feira que ainda não atingiu o ápice da forma física. Mesmo depois de se destacar e ser decisivo na vitória por 3 a 0 sobre o Melgar, pela Copa Libertadores, o jogador explicou que ainda pode fazer mais para o clube, por não estar ainda no auge das condições depois de ter se submetido no fim do ano passado a uma cirurgia no joelho direito.

Goulart participou dos três gols do jogo, ao marcar um e dar o passes para outros dois, marcados por Felipe Melo e Deyverson. "Estou em uma porcentagem de 85%, falta um pouco de ritmo de jogo. Agora é treinar forte durante a semana. Sei que tem jogo atrás de jogo. Vou trabalhar especificamente com os profissionais que vêm me ajudando e dar sequência. Estou sendo abençoado com esses gols. Eu sempre me dediquei", disse.

Emprestado até o fim do ano pelo Guanghzou Evergrande, da China, Goulart marcou três gols desde a chegada ao clube e tem se mostrado decisivo. No Palmeiras ele retomou a parceria com o técnico Luiz Felipe Scolari, com quem trabalhou durante três anos no futebol asiático. A dupla participou diretamente da conquista de sete títulos, o principal deles a Liga dos Campeões da Ásia, em 2015.

"Como vocês sabem, trabalhei dois anos e meio com ele, fomos muito felizes. É uma honra trabalhar com ele.  Todos tem a confiança dele. É um grupo qualificado, todos respeitam a pessoa que ele é", ressaltou Goulart. O atacante começou a trabalhar no Palmeiras antes mesmo de assinar contrato, ao ter usado a estrutura do clube para se recuperar da cirurgia.

O Palmeiras tem como próximo compromisso o clássico com o São Paulo, pelo Campeonato Paulista. O jogo será no Pacaembu pois o Morumbi está sem condições de receber partidas depois de ter sido atingido por inundamentos nos vestiários causados pelas fortes chuvas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.