Fred Casagrande/Framephoto
Fred Casagrande/Framephoto

Ricardo Oliveira comemora marca inédita e 'faz as pazes' com os pênaltis

Desde seu retorno ao clube, atacante faz pela primeira vez três gols em um jogo

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2016 | 23h56

O atacante Ricardo Oliveira deixou a Vila Belmiro com muitos motivos para sorrir. Além da classificação e da vitória do Santos por 3 a 0 sobre o Gama, o atacante conseguiu marcar três gols em uma partida pela primeira vez em seu retorno ao clube e ainda voltou a marcar gols em cobranças de pênaltis.

No ano passado, o atacante desperdiçou diversas cobranças de pênaltis decisivas. “Se tem uma coisa que aprendi na minha carreira é entender os momentos. No ano passado, tivemos algumas infelicidades e entendi que era o momento de passar a oportunidade para outros companheiros. Não sou egoísta e esperei o momento certo. A confiança nunca faltou. Bati os pênaltis com confiança e os gols coroou nossa atuação”, disse o experiente jogador santista.

Ricardo Oliveira ainda comemorou o primeiro hat-trick desde que voltou ao clube. “Já tinha feito na minha primeira passagem. São números que dificilmente a gente lembra. É importante fazer gol sempre”, disse.

O jogador ainda viveu uma situação curiosa no lance do segundo pênalti. Ele foi reclamar com o árbitro e pediu a expulsão do goleiro Maringá. Mas depois, pediu desculpas pelo erro. “Eu falei com o goleiro e pedi desculpas, porque fui reclamar que ele merecia ser expulso, mas não sabia que mudou a regra. O árbitro me explicou, entendi e antes da cobrança de pênalti eu pedi desculpa para ele”, contou o santista.

Classificado para as oitavas de final da Copa do Brasil, o Santos aguarda o sorteio para saber quem enfrentará na próxima fase, que contará com os clubes brasileiros que disputaram a Libertadores, casos de São Paulo, Corinthians, Palmeiras, Internacional, Grêmio e Atlético-MG.

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.