Bruno Cantini/Atlético-MG
Bruno Cantini/Atlético-MG

Atacante Ricardo Oliveira pede mais apoio da torcida do Atlético-MG

Equipe enfrenta o líder São Paulo nesta quarta-feira, pelo Campeonato Brasileiro

Estadão Conteúdo

04 de setembro de 2018 | 17h42

Ricardo Oliveira, atacante do Atlético-MG, aproveitou a entrevista coletiva nesta terça-feira para discursar aos torcedores. O site do clube disponibilizou a fala de cerca de 10 minutos na íntegra, onde repetiu por dez vezes a palavra "acredito" - e mais duas, "acreditar".

O atleta de 38 anos lembrou da infância difícil e do quanto batalhou para se tornar jogador de futebol. Disse ainda se sentir motivado com o projeto do Atlético-MG e animado com elenco, comissão técnica e diretoria. "Não desisti de sonhar e acreditar que isso aqui ainda vai virar, vai virar porque o trabalho consegue o resultado. E, aqui, tem trabalho, tem qualidade, tem pessoas que estão envolvidas com isso."

Apesar de ver toda essa motivação com o grupo, Ricardo Oliveira vê ainda o torcedor do Atlético desconfiado com o time, especialmente com a dificuldade de embalar no Campeonato Brasileiro. A equipe não vence há três jogos na competição e ocupa a sexta colocação, com 35 pontos. "Sinto que o torcedor está meio inseguro, triste."

Então veio com o tom motivacional. "Acredito que o resultado que estamos dando até agora, se não é dos melhores, não é o pior. Estamos a cinco pontos do quarto colocado e a seis do terceiro. Estamos a duas vitórias de bater lá em cima. Venho para falar dessa realidade, falando nos quatro primeiros colocados, restando, ainda, 16 jogos no Campeonato Brasileiro."

Além de mostrar que o Atlético continua na briga, ele convocou os torcedores para a importante partida de quarta-feira, às 21h45, contra o líder São Paulo, no estádio Independência. O centroavante justificou que uma das motivações dele para acertar com o time mineiro foi a presença da torcida.

"Assisti ao Atlético jogar, em 2013, onde o Atlético tinha que se reinventar a cada partida. E houve um canto que contagiou o Brasil, que era o canto da nossa torcida dizendo 'eu acredito'. Em todos os jogos, no Independência ou no Mineirão, escutava-se esse grito de 'eu acredito, eu acredito'. Joguei contra o Atlético aqui e ouvi esse grito contra. Era de arrepiar. Foi algo que me motivou a vir para cá, além do financeiro, que também foi bom para mim, não sou hipócrita de falar que não foi. Mas o que me motivou a vir foi sentir esse calor, ter esse grito a meu favor, essa torcida empurrando o meu time para frente, o seu time do coração para frente."

Ricardo Oliveira também falou de suas motivações. O jogador vem fazendo uma boa temporada pelo time mineiro. Esteve presente em 42 jogos e marcou 18 gols até agora. Mas ele fala que quer mais. "E eu, com 38 anos, sendo um dos mais velhos do time, continuo sonhando como uma criancinha e é isso que me motiva", disse.

"Fico feliz com o resultado, mas sei que posso melhorar e vou trabalhar muito para dar ainda muito mais, mais gols, títulos, para fazer com que o torcedor tenha novamente essa alegria de gritar Atlético, lutar, lutar, lutar, eu acredito, eu acredito, eu acredito", finalizou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.