Rafael Ribeiro/CBF
Rafael Ribeiro/CBF

Ricardo Oliveira exalta volta à seleção: 'É a mesma emoção'

Artilheiro do Campeonato Brasileiro está com 35 anos

ALMIR LEITE, O Estado de S. Paulo

05 de outubro de 2015 | 14h25

Ricardo Oliveira se destacou pela alegria e também pela elegância ao se apresentar à seleção brasileira no início da tarde desta segunda-feira em Santiago. Vestindo um terno preto, destoou dos companheiros, mas disse ter um motivo especial: estava comemorando um melhor momento de sua carreira, ou seja, a convocação para os jogos contra Chile e Venezuela.

"Depois de oito anos (sem ser chamado), é sempre importante voltar bem vestido. A emoção não muda, não importa a idade, não muda o prazer que significa servir à seleção e representar uma nação", explicou o artilheiro do Campeonato Brasileiro, com 17 gols.

Aos 35 anos, Ricardo não sabe até quando ficará na seleção nem se chegará à Copa da Rússia. Mas, no momento, isso não importa. Para ele, o mais importante é que o Brasil tenha uma boa arrancada na briga pela vaga.

O atacante não considera exagero dizer que está no melhor momento e explica por quê. "Falo em nível de jogo e de experiência. No Santos, sou o jogador que mais atuou este ano, jogo sempre os 90 minutos e não sofri nenhuma lesão", diz.

Ricardo Oliveira voltou a dizer que não tinha muitas esperanças de retornar à seleção. "Depois que eu saí de um grande mercado, sabia que seria difícil voltar. Foram cinco anos no futebol árabe, aí esquece! Mas no retorno ao Brasil as coisas foram acontecendo gradativamente. Espero corresponder, tenho esperança de ajudar a seleção."

Seu companheiro de Santos, o meia Lucas Lima, que vive situação inversa, considera ter vencido a pressão da estreia na seleção brasileira nos amistosos contra Costa Rica e Estados Unidos, realizados no mês de setembro, e se diz pronto a colaborar. "O importante é estar preparado para, se o professor Dunga precisar de mim, corresponder."

GRUPO INCOMPLETO

A seleção faz a partir das 17 horas desta segunda-feira, no complexo de San Carlos de Apoquimbo (casa da Universidad Católica), seu primeiro treino em território chileno, e Dunga não poderá contar com todos os jogadores. Kaká e Douglas Costa só se apresentam nesta terça-feira, assim como os três convocados que atuam no Paris Saint-Germain - David Luiz, Lucas e Marquinhos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.