Ricardo Oliveira joga final no Beira-Rio, diz empresário

Roberto Assis, empresário de Ricardo Oliveira, garantiu a seu jogador que conseguirá junto ao Betis a permissão para que ele jogue o segundo jogo da final da Libertadores, contra o Internacional, no dia 16, embora seu empréstimo junto ao Betis termine no dia 10.O recado foi dado neste sábado, no Centro de Treinamentos, onde Assis foi visitar os dirigentes do São Paulo. Ele confirmou a informação, por mensagem eletrônica, a jornalistas conhecidos do Rio Grande do Sul. Tanta confiança vem no momento de duras declarações de Pepe León, presidente do Betis, garantindo que Ricardo Oliveira estará em Sevilha no dia 12. E nem um dia a mais.Dirigentes do São Paulo mostram a mesma confiança de Roberto Assis. Para eles, apenas uma dúvida: fim do ano ou só a final. ?Lutamos para que o Ricardo fique até o fim do ano. Se não der certo, o que duvido muito, fica para a final. Tenho toda confiança nisso?, diz João Paulo de Jesus Lopes, diretor de futebol. Nem a dura entrevista do presidente do Betis assusta. ?Faz parte do jogo, endurecer. A negociação está evoluindo e ele vai jogar. Todo mundo pode acreditar nisso?, garante João Paulo.O diretor Júlio Silva está na Espanha negociando com o Betis. Se não conseguir a prorrogação do empréstimo para dezembro, tentará fazê-lo por apenas três meses, que é o prazo mínimo exigido pela Fifa. E o São Paulo se comprometeria a fazer a rescisão do novo empréstimo uma semana depois. Seria um drible na lei, permitindo que Ricardo Oliveira estivesse na final.André Dias na esperaA diretoria aguarda também a decisão sobre André Dias. O Goiás conseguiu uma decisão favorável na Justiça de Goiânia que o São Paulo espera derrubar. Na verdade, o São Paulo atua nos bastidores, pois a causa é entre André Dias e o Goiás.Se a decisão for favorável ao jogador, o São Paulo o escalará imediatamente. Caso seja confirmado que ainda há vínculo entre André Dias e o Goiás, o São Paulo tentará a contratação do jogador, que não atua desde 15 de julho, quando, aos 47 minutos do segundo tempo, fez de cabeça o gol da vitória sobre o Figueirense por 2 a 1, no Morumbi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.