Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Ricardo Oliveira lamenta empate, mas diz que não faltou coragem ao Atlético-MG

Mineiros ficaram no 1 a 1 com o Corinthians, em São Paulo

Estadão Conteúdo

01 Setembro 2018 | 23h24

Neste sábado, o Atlético Mineiro perdeu uma boa chance de se aproximar do G-4 do Campeonato Brasileiro. Jogando na Arena Corinthians, em São Paulo, o time mineiro ficou no empate por 1 a 1 contra o Corinthians, com muitas baixas. Mesmo com o ponto fora de casa, o atacante Ricardo Oliveira lamentou o resultado por conta das chances criadas no segundo tempo.

"Não faltou coragem. No início do jogo identificamos que estávamos dando muito espaço para o Corinthians e identificamos que deveríamos adiantar a nossa pressão. A partir daí, crescemos na partida e criamos bons lances, tanto que conseguimos empatar em um pênalti. Ainda tive uma chance no fim do segundo tempo, em uma cabeçada que bateu na trave, mas um empate aqui no Itaquerão é válido. Mesmo sem a vitória, seguimos focados", garantiu o camisa 9, após o fim da partida.

O lateral-esquerdo Fábio Santos, que marcou o gol de empate em uma cobrança de pênalti, considerou o jogo equilibrado e com resultado justo. "Nós começamos atrás para sentir a pressão deles. Depois colocamos a bola no chão e fomos à frente e merecemos o gol. No segundo tempo tivemos outras boas chances e, até, poderíamos ter vencido. Mas acho que o resultado foi justo", concluiu o defensor, que converteu o seu sétimo pênalti na temporada.

Com o resultado, o Atlético-MG aparece na sexta colocação, sendo o primeiro time dentro do G6, com 35 pontos. Não conseguiu colar nos adversários que estão à frente na tabela de classificação, mas mesmo assim não irá perder posições até o fim desta rodada.

Pela 23.ª rodada, o time mineiro irá enfrentar o líder São Paulo, desta vez em casa, no estádio Independência, em Belo Horizonte, às 21h45 desta quarta-feira. Não será uma missão fácil, já que a equipe paulista irá precisar dos três pontos para se manter na briga pela ponta.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.