Ricardo Oliveira só espera surpreender

Ricardo Oliveira vive momento de maré mansa. O ex-centroavante de Portuguesa e Santos é um dos mais animados dentre os 22 que estão na Alemanha. Motivos de alegria não lhe faltam. Afinal, conquistou a Copa do Rei, marcou nos 2 a 1 do Betis sobre o Osasuna, está com o passe valorizado e tem chances de cavar espaço para o Mundial. "Estou pronto para entrar no momento em que for preciso", avisou. "Não se perde oportunidade como esta". Tanto que é um dos poucos que não se queixam de cansaço nem se incomodam com a perspectiva de ficar com menos de um mês de férias antes de retornar à rotina. "Em princípio, o Betis me deu 30 dias de descanso, mas não estou pensando nisso." Ricardo, porém, pode deixar o Bétis. Embora tenha mais seis anos de contrato, há perspectiva de transferência ainda na fase de pré-temporada. Ele não esconde interesse em dar saltos maiores, com a ressalva politicamente correta de que se sente "muito bem" em seu segundo clube espanhol - o primeiro foi o Valencia. "Gosto do Bétis, da cidade, do clima, do ritmo de vida e da comida.Também prefiro ficar na Espanha, mas pretendo sempre subir mais." A Copa das Confederações é outra etapa importante em sua estratégia de destacar-se e ganhar projeção no futebol europeu. Por isso, se mostrou disponível ao atender o chamado de Parreira. "Seleção sempre é uma vitrina valiosa." Agora, depende de Parreira colocá-lo em campo. Sua parte é a de agarrar essa chance e não largar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.